Dinheiro Público

Olli Rehn: “Portugal corre riscos para atingir défice em 2011”

Olli Rehn, vice-presidente da CE
Olli Rehn, vice-presidente da CE

Portugal tem cumprido o seu programa de reformas, conforme acordado no plano de ajuda financeira, mas o risco de não cumprimento da meta de 5,9% do défice para este ano é real, afirmou o Comissário Europeu dos Assuntos Monetários, Olli Rehn.

“O cumprimento do programa tem sido satisfatório. O Governo tomou as rédeas do programa de ajustamento e aplicou de forma ágil, as reformas estruturais para a primeira avaliação”, disse hoje o comissário numa vídeo-chamada gravada na II Conferência Antena 1 — Jornal de Negócios.

“O Governo também reagiu às surpresas negativas no orçamento ao tomar medidas adicionais. De forma importante, reconfirmou a sua ambição para reestruturar decisivamente as empresas estatais, que foram arrastadas nas contas públicas e são uma fonte de risco”, afirmou.

“Apesar destes esforços, as últimas informações sugerem que existem riscos para alcançar a meta do défice para 2011, como acordado no programa. Isto é infeliz, e realça as falhas no planeamento do orçamento e execução, que precisa de ser ajustado”.

O comissário europeu defendeu também que, mais do que nunca, Portugal necessita de um Orçamento de Estado “forte” para 2012, face aos “lamentáveis” desvios verificados este ano, que colocam em causa o objectivo de défice para 2011.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
100 anos fatos de banho

Vídeo. 100 anos de fatos de banho pintados no corpo

Hans-Werner Sinn e Clemens Fuest. Fotografia: Ifo

Ifo. Anulação de sanções “conduz a conflito e destabilização”

REUTERS/Stephen Lam

A ironia de Wall Street: Apple dispara com quebra nas vendas e lucros

Fotografia: Leonel de Castro/Global Imagens

Dona do Pingo Doce vende totalidade da Monterroio

Foto: Boom Festival

Boom Festival distinguido pela Rolling Stone

Fotografia: REUTERS/Issei Kato

Pedro venceu mais de 500 adversários para aprender a ser CEO por um mês

Conteúdo Patrocinado
Olli Rehn: “Portugal corre riscos para atingir défice em 2011”