Os helicópteros e os “foleiros” de Trump

Reportagem a partir do Fórum Económico Mundial de Davos, na Suíça, onde Donald Trump já chegou

O trânsito de helicópteros foi intenso hoje pela manhã nos céus pintados de branco pelas montanhas dos Alpes, em Davos, Suíça. Centenas de jornalistas e de polícias cercaram o heliporto, criado numa pequena zona plana entre os rochedos e coberto de neve.

Os participantes que chegaram a Davos para o World Economic Forum, que arrancou hoje, estavam curiosos para ouvir Donald Trump falar de algo em que não acredita: alterações climáticas.

O presidente dos Estados Unidos da América foi cabeça de cartaz esta manhã e não desiludiu no seu jeito provocatório. Donald Trump criticou os "profetas da destruição" que alertam para as sérias consequências das mudanças climáticas, num discurso perante todos os líderes políticos e económicos no Fórum Económico Mundial. Mais, chamou os alertas de “foleiros”.

Trump subiu ao palco logo após o presidente suíço ter proferido um discurso em que apelou ao mundo para cuidar bem do planeta, mas Trump fez ouvidos de mercador.

“Socialistas radicais”

O presidente norte-americano alertou que muitas previsões anteriores não se confirmaram, como o excesso de população na década de 1960 ou o “fim do petróleo" na de 1990, logo não percebe tamanha preocupação para com as mudanças ambientais. Sobre o seu país, disse “nunca permitiremos que socialistas radicais destruam a nossa economia", referindo-se aos adversários do Partido Democrata às eleições presidenciais de novembro.

Donald Trump, que regressou a Davos depois de aqui ter estado em 2017, está acompanhado pela filha, Ivanka Trump, e pelo genro, Jared Kushner, ambos seus conselheiros.

Também por cá está o secretário do Tesouro norte-americano, Steven Mnuchin, que antes de Trump foi orador num encontro promovido pelo The Wall Street Journal. Está ainda presente o ministro do Comércio, Wilbur Ross, e o representante para o Comércio, Robert Lighthizer, fazem parte da delegação.

O Secretário do Tesouro não se escusou a falar do acordo comercial "de fase 1" que os EUA recentemente assinaram com a China e disse que criará "enormes oportunidades" para empresas e trabalhadores americanos, mas sublinhou que a segunda fase do pacto pode não ser um "Big Bang".

Segundo Mnuchin, se as questões pendentes com a China não forem solucionadas, os EUA terão o direito de impor tarifas adicionais a produtos vindos daquele país. Alerta ouvido por todo o mundo, a partir do megafone de Davos.

Vocês ainda não viram nada. Atividades do clima promente agitar Fórum Económico

Recomendadas

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de