Itália

Parlamento italiano aprova em definitivo Orçamento do Estado para 2019

O Partido Democrático, da oposição, manifestou-se contra um orçamento que, diz, "aumenta impostos e corta pensões". REUTERS/Remo Casilli
O Partido Democrático, da oposição, manifestou-se contra um orçamento que, diz, "aumenta impostos e corta pensões". REUTERS/Remo Casilli

O documento recebeu o não em bloco da oposição, mas teve 313 votos favoráveis das forças da coligação governamental.

A Câmara dos deputados de Itália aprovou este domingo a lei do Orçamento do Estado para 2019, da coligação governamental, que integra a Liga (extrema-direita) e o Movimento 5 Estrelas (antissistema), que conta com o aval da Comissão Europeia.

As contas receberam 313 votos a favor e 70 contra na Câmara dos Deputados, concluindo assim o processo parlamentar, depois de o orçamento passar pelo Senado, a 23 de dezembro.

O Movimento 5 Estrelas e a Liga, com maioria, votaram isolados um texto que recebeu o “não” da oposição em bloco: desde a conservadora Força Itália até à esquerda do Partido Democrata.

O Orçamento para 2019 já conta com o aval da Comissão Europeia, depois de o Governo italiano ter cedido nas suas pretensões e proposto a redução do seu défice público de 2,4% para 2,04% do Produto Interno Bruto (PIB) em 2019.

O Senado italiano tinha já aprovado o Orçamento do Estado para 2019, negociado com a União Europeia.

A sua aprovação estava dada por garantida, depois de a coligação governamental ter submetido, no sábado, a proposta a um voto de confiança, um método ao qual se recorre com frequência em Itália quando se quer acelerar a tramitação de uma lei, já que desse modo se evita a discussão parlamentar, com votações de emendas.

Isto suscitou a ira da oposição em bloco, que denunciou a impossibilidade de propor emendas ao texto, de analisar e de proceder ao debate parlamentar, pelo que o Partido Democrata recorreu ao Tribunal Constitucional.

O Governo “populista” de Giuseppe Conte justifica-se alegando que as contas deveriam chegar antes do fim do ano, e hoje foram finalmente aprovadas no seu conjunto, depois de os legisladores reverem durante quase nove horas outras 244 ordens do dia.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje

Página inicial

O antigo ministro das Finanças, Teixeira dos Santos ouvido na II Comissão Parlamentar de Inquérito à Recapitalização da Caixa Geral de Depósitos e à Gestão do Banco. Assembleia da República, Lisboa, 19 de junho de 2019. MIGUEL A. LOPES/LUSA

As razões de Teixeira dos Santos – e aquilo que nunca soube

O antigo ministro das Finanças, Teixeira dos Santos ouvido na II Comissão Parlamentar de Inquérito à Recapitalização da Caixa Geral de Depósitos e à Gestão do Banco. Assembleia da República, Lisboa, 19 de junho de 2019. MIGUEL A. LOPES/LUSA

Teixeira dos Santos: Sócrates alertou que nomear Vara criaria “ruído mediático”

Outros conteúdos GMG
Parlamento italiano aprova em definitivo Orçamento do Estado para 2019