Parque Industrial da Autoeuropa pode mandar 500 trabalhadores para desemprego

Volkswagen Autoeuropa
Volkswagen Autoeuropa

As empresas do Parque Industrial da Autoeuropa poderão eliminar 500 postos de trabalho até ao final do ano, se não houver uma melhoria no mercado automóvel, disse hoje à Lusa Daniel Bernardino, representante da Coordenadora das Comissões de Trabalhadores.

“Já saíram 11 trabalhadores da Schnellecke e 15, temporários, da SAS”, referiu, como exemplo, Daniel Bernardino, assegurando que há cerca de 200 trabalhadores do plarque industrial que perderam o posto de trabalho desde o início do ano.

“Há muitos trabalhadores temporários que estão ser dispensados por diversas empresas e muitos contratados a prazo até maio, aos quais não estão a ser renovados os contratos”, frisou, acrescentando que este número poderá aumentar para mais de 500 no final do ano.

Segundo Daniel Bernardino, muitas empresas, fornecedoras de componentes ou serviços à fábrica de automóveis de Palmela, acabam por sofrer também as consequências da diminuição do volume de encomendas da unidade industrial do grupo Volkswagen e veem-se forçadas a reduzir o número de postos de trabalho.

“Na Faurécia, onde está em curso um despedimento coletivo de 69 trabalhadores, há quatro ou cinco que já saíram, mas os restantes continuam na empresa até final de Abril. E há mais 20 que já rescindiram por mútuo acordo”, disse ainda.

“Na SAS já foram dispensados cinco trabalhadores temporários, na Vampro, Bentler, Palmetal, Wheels e Paintyes, também já foram dispensados alguns trabalhadores e acreditamos que também poderá haver uma redução de postos de trabalho na Schnellecke”, acrescentou Daniel Bernardino, salientando que os casos referidos são apenas alguns exemplos do que se está a passar com muitas empresas do parque industrial.

De acordo com o representante da Coordenadora das Comissões de Trabalhadores do Parque Industrial da Autoeuropa, para além da dispensa de trabalhadores temporários, também há empresas que já não estão a renovar contratos a prazo que terminam em abril e maio.

“Se não houver uma melhoria no setor automóvel, até final do ano vamos ter uma redução de, pelo menos, 500 postos de trabalho no Parque Industrial da Autoeuropa”, reiterou o representante das Comissões de Trabalhadores do Parque Industrial da Autoeuropa.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Outros conteúdos GMG
Hoje
Foto: JOAO RELVAS / LUSA

Desemprego registado volta a crescer em agosto, supera 409 mil inscrições

ensino escola formação

Estes são os empregos e as competências mais procuradas em Portugal

Manuel Heitor, ministro do Ensino Superior.
(PAULO SPRANGER/Global Imagens)

Alunos vão pagar até 285 euros para ficar em hotéis e alojamento local

Parque Industrial da Autoeuropa pode mandar 500 trabalhadores para desemprego