Passos Coelho defende reforço do elo transatlântico

ng3120205

O primeiro-ministro defendeu o reforço de um entendimento mútuo transatlântico, não só com a América Latina, mas, também, com a América do Norte, para contrariar o crescimento do mercado asiático.

Pedro Passos Coelho apela, assim, a um “esforço trilateral” para concretizar algumas ideias, como um “mercado transatlântico”. De acordo com o primeiro-ministro, as conversações para que se registem avanços no estabelecimento de um acordo entre a Mercosul e a União Europeia têm continuado, mas esta ligação transatlântica, que “teria enormes resultados”, deve incluir os Estados Unidos.

Leia também: Paulo Portas: Portugal “surpreendeu o mundo” nas exportações

“Este acordo teria grandes implicações e um importante significado geopolítico, principalmente numa altura em que alguns poderão pensar que a aposta dos Estados Unidos no mercado asiático significa que os norte-americanos abandonaram o mercado europeu”, afirmou Passos Coelho na Lancaster House, em Londres, onde participou na palestra “Portugal, Europa e América Latina – renovar o elo transatlântico”.

Passos Coelho propôs, ainda, uma “troca de cérebros”, através da facilitação no movimento de trabalhadores altamente qualificados entre os dois lados do oceano, bem como uma maior colaboração na área da energia.

“A Europa importa a maioria da sua energia de regiões com instabilidade considerável”, afirmou. Assim, os desenvolvimentos na extração de gás de xisto, petróleo, biocombustíveis e energia geotermal no continente americano podem ajudar à “mudança da paisagem energética global”, considerou.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje

O ministro das Finanças, Mário Centeno. Fotografia: Mário Cruz/Lusa

Investimento público dispara à boleia de estradas e gastos militares

Outros conteúdos GMG
Conteúdo Patrocinado
Passos Coelho defende reforço do elo transatlântico