Passos leva construtoras à Colômbia e sonda interessados na TAP

Passos vai à Colômbia na próxima semana
Passos vai à Colômbia na próxima semana

O primeiro-ministro, Pedro Passos Coelho, irá estar, em missão
oficial, na Colômbia, a 22 e 23 de junho, com mais de 50 empresários
para abrir os mercados do país a várias construtoras portuguesas e
para tentar aliciar interessados no sector dos transportes,
designadamente na TAP e no aeroporto da Portela.

De acordo com informações recolhidas pelo Dinheiro Vivo em
Bogotá, onde decorre uma missão oficial do comissário europeu da
Indústria, Antonio Tajani, estes encontros políticos terão
sequência na prática.

Tal como já fez no México, Tajani irá conversar com o presidente da Colômbia, Juan Santos, sobre as possibilidades no
sector dos transportes
, designadamente os interesses que investidores
colombianos possam ter nas “linhas aéreas, infraestruturas
aeroportuárias e portos” europeus.

O embaixador português em Bogotá, Augusto Saraiva Peixoto,
confirmou que este interesse está muito vivo. “Estou convencido
que haverá um novo interesse dos empresários colombianos na
sequência da visita do primeiro-ministro”, disse, referindo-se
a vários sectores, como a aviação civil, construção e serviços
de engenharia.

A Avianca, a transportadora aérea colombiana, poderá ser um dos
interessados na TAP e Portela
.

No sector da construção está a ser preparada a entrada (ou pelo
menos a análise do mercado) por várias construtoras: o embaixador
referiu nomes como Teixeira Duarte, Opway, Edifer e Mota-Engil como
os players mais ativos na aproximação à Colômbia,

Alexandre Bernardo, líder da Mota-Engil na Colômbia, referiu ao
Dinheiro Vivo que estão em vários sectores ligados à construção
pois o país “tem tudo por fazer”. Existem 27 projetos
diferentes no sector rodoviário (recuperação e manutenção de
estradas) que estão a analisar, por exemplo.

*Em Bogotá, a convite da Comissão Europeia

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Outros conteúdos GMG
Hoje
António Costa e Silva, responsável pelo plano para a economia nacional nos próximos dez anos.
(Leonardo Negrão / Global Imagens)

Plano de Costa Silva. As bases estão lá, falta garantir boa execução

Filipe Santos, dean da Católica Lisbon Business and Economics ( Pedro Rocha / Global Imagens )

Filipe Santos: Risco de austeridade? “Depende de como evoluir a economia”

Filipe Santos, dean da Católica Lisbon Business and Economics ( Pedro Rocha / Global Imagens )Filipe Santos
( Pedro Rocha / Global Imagens )

Filipe Santos: Há um conjunto de empreendedores que vai continuar

Passos leva construtoras à Colômbia e sonda interessados na TAP