Smart cities

Pavilhão de Portugal tem “todo o mundo num país”. Investimento é de 21 milhões

Celso Guedes de Carvalho
(Jorge Amaral / Global Imagens)
Celso Guedes de Carvalho (Jorge Amaral / Global Imagens)

Portugal mostra-se ao mundo na Expo Dubai, de 20 de outubro de 2020 a 10 de abril de 2021 .

“O objetivo é ligar o conceito da participação portuguesa à imagem de um país inovador, empreendedor, atento ao ambiente e sustentabilidade e com uma grande dimensão de acolhimento”, revela fonte oficial do governo.

A arquitetura do pavilhão e os conteúdos estão todos definidos e aprovados pelas entidades nacionais envolvidas, falta só o aval final da Expo 2020, soube o Dinheiro Vivo.

Já confirmaram a sua participação 192 países, dos quais 110 partilham um pavilhão de exposições e 82 estão a construir os seus próprios pavilhões independentes, entre os quais está Portugal. O espaço tem 1800 m2 de área de construção e representa um investimento total de 21 milhões de euros ao longo de três anos, com financiamento plurianual. O projeto já teve luz verde do Tribunal de Contas.
Primeira pedra já dia 24

A primeira pedra, que simboliza o arranque de obra, é lançada daqui a uma semana, dia 24 de novembro. Está a cargo da construtora Grupo Casais e do gabinete de arquitetura Saraiva + Associados. O espaço tem três grandes áreas, que partilham exposição, experiências imersivas de multimedia e áreas de restauração lusitana. A calçada portuguesa é o símbolo nacional que faz o acolhimento aos visitantes. O espaço fica situado junto à grande praça da Expo, o Jubilee Festival Stage, onde aliás irão decorrer os maiores concertos.

A participação portuguesa na Expo Dubai 2020 assenta em forte programação cultural, artística e empresarial; inovação social; legado, ou seja, a preocupação com o que ficará na memória dos visitantes no pós evento, e, claro, em conteúdos expositivos. Esta última área compreende sete temáticas, nas quais o governo considera que o país é hoje competitivo: aeroespacial, economia azul, energias renováveis, empreendedorismo, ciência, história e cultura, e turismo e hospitalidade.
O executivo estima que pelo Pavilhão de Portugal passem cerca de 7,5% do total dos visitantes da Expo Dubai 2020, num total de 25 milhões de pessoas espalhadas por 4,37 quilómetros quadrados de área global de exposição.

A 14 janeiro de 2021 será assinalado o Dia de Portugal, cuja programação não está fechada, mas o enfoque será o “cruzamento entre culturas”, evidenciando a história de Portugal. Após o encerramento do evento, em abril de 2021, os expositores terão de devolver a área livre ao Dubai e reinstalar os seus pavilhões noutras geografias, caso assim o pretendam fazer. Segundo apurou o Dinheiro Vivo, falta definir que uso será dado ao Pavilhão de Portugal no pós-evento.
Numa altura em que se comemoram os 50 anos dos Emirados Árabes Unidos (EAU), a presença de Portugal neste evento e nesta geografia ganha maior relevo, até porque os EAU são grandes emissores de investimento direto estrangeiro (IDE) e representam uma importante plataforma entre continentes.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Outros conteúdos GMG
Hoje
O primeiro-ministro, António Costa (E), conversa com o ministro de Estado e das Finanças, Mário Centeno (D), durante o debate parlamentar de discussão na generalidade do Orçamento do Estado para 2020 (OE2020), esta tarde na Assembleia da República, em Lisboa, 09 de janeiro de 2020. MIGUEL A. LOPES/LUSA

Subida do PIB em 2019 chega aos 2,2% com revisão nas exportações de serviços

Foto - Leonardo Negrao

Deco: seguros de saúde não cobrem coronavírus, seguros de vida sim

Foto: D.R.

Easyjet. Ligações de Portugal com Itália não serão afetadas, por enquanto

Pavilhão de Portugal tem “todo o mundo num país”. Investimento é de 21 milhões