apoios

Pescas ainda podem dispor de 508 milhões

Fotografia: Pedro Granadeiro/Global Imagens
Fotografia: Pedro Granadeiro/Global Imagens

Até ao final do ano passado, contaram-se 2540 candidaturas ao Mar2020, tendo sido pagos às empresas 52 milhões de euros. Exportações aumentaram 14%.

O programa operacional dirigido ao apoio à pesca, o Mar2020, conta com uma dotação total de 508 milhões de euros e o objetivo do Governo é atingir, este ano, um melhor desempenho face a 2017. Para isso, a meta é transferir, este ano, 80 milhões de euros para as empresas, mais 28 milhões face aos 52 milhões pagos no ano passado, apurou o Dinheiro Vivo junto do Ministério do Mar.

Mesmo assim, até ao final do ano passado, deram entrada 2540 candidaturas, para um investimento elegível proposto de 506 milhões de euros, tendo sido aprovados 1318 projetos. De acordo com o Ministério, o valor global dos investimentos associados aos projetos candidatos é próximo do montante global de apoios públicos disponíveis até 2020.

O maior número de projetos provados (153) estava relacionado com a cessação temporária da pesca de sardinha e lagostim, no valor total de 6,2 milhões de euros. No entanto, as maiores verbas foram dirigidas a projetos para a indústria transformadora (45,5 milhões de apoio atribuído, para um investimento elegível de 91M€), para a aquacultura (43,3M€ de apoio) e para portos de pesca locais (40,5M€).

Mais emprego

No caso dos investimentos realizados na indústria transformadora e na aquacultura resultou a criação de 280 novos postos de trabalho.

O Ministério do Mar salvaguarda que o programa arrancou com dois anos de atraso, tendo em conta que o processo da sua adoção na União Europeia, com toda a regulamentação e implementação, só avançou após a tomada de posse do atual Governo, no final de 2015.

Entre os projetos aprovados o Ministério assinala o esforço para uma maior eficiência energética, a valorização dos produtos e o reforço das exportações.

Vendas ao exterior em alta

Na realidade, as empresas do setor da pesca e da aquacultura exportaram 1,1 mil milhões de euros em 2017, tendo tido um crescimento homólogo de 14%, entre janeiro e setembro, embora as importações tenham sido superiores, de 1,9 mil milhões de euros.

Destaque para as conservas de pescado, onde as exportações, na ordem dos 220 milhões de euros, superaram as importações, no valor de 177 milhões.

O bacalhau salgado, os crustáceos e os moluscos estão a ter um peso crescente nas importações, segundo o Ministério, representando já cerca de 58% do total.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje

Página inicial

Página inicial

BIRD-LISBOA-CAPA-d4e8542c1277f7c093f38ac1a96935540df9ef2a

Custo de vida em Lisboa aproxima-se de Berlim, Madrid e Barcelona

Outros conteúdos GMG
Pescas ainda podem dispor de 508 milhões