Investigação

PGR confirma buscas no Ministério das Finanças

Fotografia: Filipe Amorim / Global Imagens
Fotografia: Filipe Amorim / Global Imagens

Inquérito "não tem arguidos constituídos e está em segredo de justiça"

A Procuradoria-Geral da República (PGR) confirmou as buscas realizadas, na sexta-feira, “para recolha documental” no Ministério das Finanças, num inquérito que “não tem arguidos constituídos e está em segredo de justiça”.

“Confirma-se a realização de buscas para recolha de prova documental no âmbito de um inquérito em investigação no DIAP de Lisboa. O inquérito não tem arguidos constituídos e está em segredo de justiça”, disse à agência Lusa fonte oficial da PGR.

As buscas por magistrados do Ministério Público no Ministério das Finanças já tinham sido confirmadas por uma fonte do gabinete do ministro Mário Centeno, depois de a notícia ter sido avançada pelo Correio da Manhã.

Fonte do ministério confirmou à agência Lusa “a realização de ações inspetivas”, garantiu a colaboração “de forma franca”, colocando “à disposição das autoridades judiciárias todos os elementos solicitados”.

O executivo não revela o motivo das “ações inspetivas”, “respeitando o segredo de Justiça”, ainda segundo a mesma fonte.

Na sua edição de hoje, o CM noticia as buscas, afirmando que foram feitas por magistrados da 9.ª secção do Departamento de Investigação e Ação Penal (DIAP), que lida com o crime económico.

O jornal não adianta o motivo das buscas, mas lembra que se encontram em investigações processos ligados à Operação Ciclone, envolvendo a EDP e a REN quanto ao Mecanismo dos Custos para a Manutenção de Equilíbrio Contratual (CMEC) ou ainda o caso das viagens de membros do Governo a França para assistir a jogos do europeu de futebol, em 2016.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
O sismo da Terceira de 1980
(Arquivo DN)

Risco de sismo é real. Seguradores querem fundo prioritário no próximo governo

O sismo da Terceira de 1980
(Arquivo DN)

Risco de sismo é real. Seguradores querem fundo prioritário no próximo governo

João Galamba, Secretário de Estado da Energia 
(PAULO SPRANGER/Global Imagens)

João Galamba: “Há diferença entre encontrar rendas excessivas e cortá-las”

Outros conteúdos GMG
PGR confirma buscas no Ministério das Finanças