Investimento

Plano Juncker duplica meta do emprego até 2020

Jean-Claude Juncker faz o balanço do seu mega plano. Fonte: REUTERS/Yves Herman
Jean-Claude Juncker faz o balanço do seu mega plano. Fonte: REUTERS/Yves Herman

Em janeiro de 2015, Plano Juncker tinha como meta alavancar 315 mil milhões de euros em investimento até 2018. Diz que já supera 335 mil milhões.

O Plano de Investimento para a Europa, batizado como Plano Juncker (o apelido do atual presidente da Comissão Europeia, superou a meta inicial de investimentos esperados e prevê agora duplicar o número de postos de trabalho a criar nos próximos três anos: diz que criou 750 mil empregos em três anos e que pretende chegar a 1,4 milhões até final de 2020.

De acordo com o balanço feito esta quarta-feira por Jean-Claude Juncker, o líder da Comissão, e Werner Hoyer, o presidente do Banco Europeu de Investimento, “foi ultrapassada a meta inicial de 315 mil milhões de euros de investimento [público e privado]”, tendo chegado a 335 mil milhões; e “o Fundo Europeu para Investimentos Estratégicos deverá criar 1,4 milhões de postos de trabalho e aumentar o produto interno bruto (PIB) da União Europeia (UE) em 1,3% até 2020″.

No âmbito deste plano, “já apoiámos pelo menos 750 mil postos de trabalho em toda a UE”, disse Jyrki Katainen, vice-presidente da Comissão para o Emprego. Portanto, os mais 1,4 milhões acenados por Juncker são praticamente o dobro do que foi obtido até agora em termos de empregos.

O mesmo em relação ao PIB. O impacto também vai duplicar. De 2015 até agora, “o Plano Juncker já aumentou o PIB da UE em 0,6%, prevendo-se que aumente em 1,3 % até 2020”

Além disso, o Plano Juncker, lançado no início de 2015, tinha como meta chegar a 315 milhões de euros de investimentos por esta altura do campeonato. Agora, diz Bruxelas, “com o apoio de uma garantia orçamental da União Europeia e dos recursos próprios do Grupo BEI, foram aprovadas 898 operações, que deverão mobilizar 335 mil milhões de euros de investimento nos 28 estados-membros da UE”.

Fonte oficial diz que “700 mil pequenas e médias empresas (PME)” tiveram acesso a “financiamento de risco” através do pacote Juncker.

“Dado o êxito do FEIE, o Conselho Europeu e o Parlamento Europeu acordaram no ano passado em prolongar a sua duração e aumentar a sua capacidade para 500 mil milhões de euros até ao final de 2020”, diz a CE.

“Para além de financiar projetos inovadores e novas tecnologias, o Plano Juncker apoiou outros objetivos da UE, como no âmbito da política digital, social e de transportes.”

“Mais 15 milhões de agregados familiares obtiveram acesso a banda larga de alta velocidade; foram construídas ou renovadas mais de 500 mil unidades de habitação social; 30 milhões de europeus beneficiam de melhores serviços de cuidados de saúde; 95 milhões de passageiros por ano têm melhores infraestruturas ferroviárias e urbanas; 7,4 milhões de agregados familiares são abastecidos com energias renováveis”, enumera a Comissão Europeia.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
lisboa

Balcão dos despejos recebeu 294 pedidos por mês. São menos 44 do que em 2017

www.dinheirovivo.ptcombustiveis-7-1-1bb026ceb7a816266a2de2967749df8fd8ec068c-34e8f5d94c782fb8aeedef4aac66cd8f0db5ac96

Combustíveis descem há seis semanas, mas estão mais caros do que em janeiro

Tomás Correia, preside a Associação Mutualista Montepio, dona do Caixa Económica

Montepio: Líder da mutualista diz que processos não impedem nova liderança

Outros conteúdos GMG
Plano Juncker duplica meta do emprego até 2020