crowdfunding

Plataforma Seedrs gera mais de 140 ME de investimentos em 2017

Carlos Silva, co-fundador da plataforma luso-britânica de Equity Crowdfunding Seedrs. Fotografia: DR
Carlos Silva, co-fundador da plataforma luso-britânica de Equity Crowdfunding Seedrs. Fotografia: DR

2017 foi o "melhor ano desde o lançamento" da plataforma europeia de financiamento colaborativo

A plataforma europeia de financiamento colaborativo (‘equity crowdfunding’) Seedrs gerou em 2017 investimentos superiores a 140 milhões de euros, tendo permitido o financiamento de 168 campanhas de 17 setores, foi hoje anunciado.

Em comunicado, a Seedrs destaca que estes números fazem de 2017 “o melhor ano desde o lançamento” da plataforma.

Segundo refere, os mais de 46.700 financiamentos gerados no ano passado foram provenientes de investidores de 58 países, tendo as ‘startups’ [empresas com elevado potencial de crescimento] portuguesas levantado 1,4 milhões de euros junto de mais de 1.200 investidores.

Considerando o acumulado dos seus cinco anos de atividade, a Seedrs diz ter superado os 330 milhões de euros investidos em campanhas, que se traduziram em financiamentos a mais de 590 negócios.

Entre os “vários recordes” batidos no último ano de atividade, a plataforma aponta os casos da ‘app’ (aplicação) de pagamentos Revolut, que “levantou mais de quatro milhões de euros junto de mais de 4.200 investidores, tornando-se na campanha com mais investidores”, e da fabricante de motas elétricas Bolt, que “realizou a maior campanha de ‘crowdfunding’ feita por uma empresa fora do Reino Unido, tanto em montante como em investidores, ao captar 3,2 milhões de euros junto de 2.400 investidores”.

Ainda referida é ‘app’ de ‘trading’ Bux, que “atingiu o seu objetivo de financiamento em apenas 24 horas”.

Em Portugal, as cinco ‘startups’ nacionais que no ano passado captaram financiamento na Seedrs levantaram cerca de 1,4 milhões de euros junto de mais de 1.200 investidores.

O ano 2017 representou também um reforço da posição da Seedrs no continente europeu, com rondas de financiamento feitas em oito países diferentes, assim como o lançamento de um mercado secundário para negociação de ações de empresas financiadas através da plataforma, no qual foram transacionadas ações de 147 negócios diferentes com “retornos interessantes” para os investidores.

Durante o ano passado a Seedrs recorda ter também fechado uma campanha de financiamento que lhe permitiu levantar 10 milhões de libras esterlinas, dos quais quatro milhões foram investidos pela Woodford Investment Management e os restantes seis milhões foram angariados junto dos acionistas existentes e de novos investidores.

“Estou entusiasmado com o crescimento e evolução da empresa nos últimos doze meses. Desde campanhas recorde com mais de 4.000 investidores ao lançamento de novos produtos pioneiros, 2017 foi um ano excelente para a Seedrs”, considera o presidente do Conselho de Administração da plataforma, Jeff Kelisky, citado no comunicado.

Para 2018, a Seedrs aponta como “tendências” na área das ‘startups’ “a evolução e o interesse contínuo no ‘blockchain’ (tecnologia que permite, através de técnicas criptográficas, a agilização de transações complexas), o “foco na cibersegurança”, uma “forte procura” de negócios sustentáveis e, com o pós-Brexit, o aprofundar do interesse e do investimento na construção de ‘hubs’ em cidades como Manchester, Edimburgo, Belfast, entre outras.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
O ministro das Finanças, Mário Centeno, intervém durante a  conferência "Para onde vai a Europa?", na Fundação Calouste Gulbenkian, em Lisboa, 22 de março de 2019. MÁRIO CRUZ/LUSA

Próximo governo vai carregar mais 8 mil milhões em dívida face ao previsto

O ministro das Finanças, Mário Centeno, intervém durante a  conferência "Para onde vai a Europa?", na Fundação Calouste Gulbenkian, em Lisboa, 22 de março de 2019. MÁRIO CRUZ/LUSA

Próximo governo vai carregar mais 8 mil milhões em dívida face ao previsto

Motoristas de matérias perigosas em greve concentrados na Companhia Logística de Combustiveis - CLC.
Fotografia: Paulo Spranger / Global Imagens

Combustíveis. Sindicato conseguiu mais 200 sócios com greve

Outros conteúdos GMG
Conteúdo TUI
Plataforma Seedrs gera mais de 140 ME de investimentos em 2017