Economia

Porto de Sines com quebra de 2% nos primeiros seis meses

Trabalhos de descarga de contentores no Porto de Sines, 12 de fevereiro de 2020. TIAGO CANHOTO/LUSA
Trabalhos de descarga de contentores no Porto de Sines, 12 de fevereiro de 2020. TIAGO CANHOTO/LUSA

O Porto de Sines resistiu à tendência de quebras acentuadas na movimentação de contentores a nível global.

O Porto de Sines resistiu à tendência de quebras acentuadas na movimentação de contentores a nível global, registando uma diminuição acumulada de 2% nos primeiros seis meses deste ano, foi hoje divulgado.

Em comunicado, a Administração do Porto de Sines (APS) explica que depois de o primeiro trimestre de 2020 ter sido “até bastante positivo” no segmento dos contentores, o segundo trimestre “foi afetado pelo impacto da pandemia [de covid-19] na economia mundial”.

De acordo com a APS, as perspetivas para o segundo semestre de 2020 “passam pela manutenção dos volumes do ano anterior no segmento da carga geral, nomeadamente no que respeita à carga contentorizada, e da contínua redução de movimentação de combustíveis fósseis”.

O primeiro semestre deste ano “veio confirmar a tendência para a redução da movimentação de combustíveis fósseis” no porto alentejano, em linha com “os desafios colocados” no Pacto Ecológico Europeu.

“Com a paragem das centrais termoelétricas nacionais, o Porto de Sines deixou de movimentar quase dois milhões de toneladas de carvão, em comparação com o semestre homólogo anterior”, exemplifica a administração portuária.

Também “a redução da movimentação de crude devido à diminuição da procura de combustíveis (gasolina e gasóleo), no contexto do confinamento devido à pandemia, teve um impacto de quase um milhão de toneladas na movimentação de granéis líquidos, com o Gás Natural Liquefeito (GNL) a manter os níveis de movimentação do semestre homólogo anterior”.

No que respeita ao segmento de carga geral, no qual se inclui a carga contentorizada, a movimentação “manteve-se praticamente inalterada”, indica a empresa.

“O conjunto dos três segmentos de mercadorias registou no primeiro semestre de 2020 uma redução de 12,7% em relação ao mesmo período do ano anterior”, concluiu a administração do Porto de Sines, no distrito de Setúbal.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Outros conteúdos GMG
Hoje
coronavirus lay-off trabalho emprego desemprego

Empresas com quebras de 25% vão poder pedir apoio à retoma

Balcão da ADSE na Praça de Londres em Lisboa.

( Jorge Amaral/Global Imagens )

ADSE quer 56 milhões do Orçamento do Estado por gastos com isentos

Fotografia: Miguel Pereira / Global Imagens

Quase 42 mil empresas recorreram a apoios que substituíram lay-off simplificado

Porto de Sines com quebra de 2% nos primeiros seis meses