Imobiliário

Porto é a segunda cidade europeia com pior oferta de alojamento para estudantes

Foto: DR
Foto: DR

Estudo da Savills destaca que Lisboa e Porto estão a atrair cada vez mais operadores internacionais interessados em criar alojamento para estudantes.

É uma das cidades do país com mais estudantes deslocados, mas a oferta de alojamento só chega para 3,5% da procura. O Porto é a segunda cidade europeia com menos camas disponíveis face ao número de estudantes que lá habitam, revela um estudo da consultora imobiliária Savills.

À frente do Porto surge apenas Roma, onde moram mais de 220 mil estudantes e existem 6500 camas destinadas a este tipo de população.

Seguem-se Florença, Barcelona e Madrid. Segundo a Savills, é nestas cidades que estão as maiores oportunidades para os investidores em ativos imobiliários alternativos.

Citado na nota enviada pela consultora, o diretor do segmento europeu de Residential Capital Markets, sublinha que “algumas cidades portuguesas também são caracterizadas por níveis extremamente baixos de oferta, registando uma procura elevada e uma forte subida no mercado de arrendamento”.

Marcus Roberts afirma que existem vários “investidores de private equity particularmente ativos no mercado ibérico”. Em Espanha, nos últimos 12 meses foi inclusive alcançado um volume recorde de investimento no alojamento para estudantes.

Em Portugal, a Savills “aponta como uma das tendências mais fortes para o ano 2019 a diversificação do investimento por classes de ativos alternativas, como é o caso das Residências de Estudantes e Residências Sénior (Senior Living)”.

Porto e Lisboa, ressalva a mesma nota, “são duas das cidades da Europa do sul que mais têm estado no radar de vários operadores internacionais que têm adquirido diversos terrenos para promoção de residências de estudantes e que irão contribuir para responder a uma elevada procura, com contínuas perspetivas de evolução positiva”.

Como exemplo de promotores que já aterraram no mercado português, a Savills aponta a Temprano Capital Partners, MPC Capital Group, Milestone, TPG Real Estate, Round Hill Capital e The Student Hotel, estando prevista a entrada de mais investidores em 2019.

Segundo o estudo em análise, o alojamento para estudantes atingiu em 2017 um investimento global de 17,5 mil milhões de dólares (15,6 mil milhões de euros). Reino Unido e Europa Ocidental atraíram 51% deste valor. Os mercados mais ativos no segmento foram o Reino Unido, a Alemanha e Espanha.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Outros conteúdos GMG
Hoje
António Costa (E) e Charles Michel (D). Fotografia: EPA/JOHN THYS

Costa. Orçamento de Charles Michel é para os “países forretas”

A companhia portuguesa teve ontem de colocar os viajantes noutros voos. foto: Global Notícias

TAP estuda soluções para passageiros nos voos com Venezuela

O ministro das Finanças, Mário Centeno, com o secretário de Estado dos Assuntos Fiscais, António Mendonça Mendes. Fotografia: Filipe Amorim/Global Imagens

Portugal melhora transparência financeira, mas ainda tem nota negativa

Porto é a segunda cidade europeia com pior oferta de alojamento para estudantes