Turismo

Portugal aconselha atenção a quem viaje para a Catalunha

As manifestações dos últimos dias em Barcelona ficaram marcadas por confrontos entre grupos violentos e as forças de segurança. Foto: REUTERS/Albert Gea
As manifestações dos últimos dias em Barcelona ficaram marcadas por confrontos entre grupos violentos e as forças de segurança. Foto: REUTERS/Albert Gea

O Governo aconselha a acompanhar os canais de informações oficiais, através das redes sociais, para estar a par de informações atualizadas.

O Governo português aconselha os cidadãos que pretendam viajar para a Catalunha que planeiem os seus itinerários com antecedência e acompanhem as informações oficiais, devido aos protestos que estão a ocorrer nos últimos dias na região espanhola.

“As manifestações realizadas nos últimos dois dias em Barcelona e noutros locais da Catalunha têm afetado a mobilidade em algumas zonas”, lê-se no aviso divulgado na quarta-feira no Portal das Comunidades Portuguesas.

“Não estando excluída a ocorrência de eventos semelhantes ao longo dos próximos dias, aconselha-se a que planeie os seus itinerários com antecedência, a fim de poder fazer face a eventuais alterações na circulação, bem como a atrasos ou cancelamentos nos transportes rodoviários, ferroviários (incluindo metro) e aéreos”, refere a nota.

A nota do Governo português também recomenda que o cidadão “acompanhe os canais de informações oficiais, através das redes sociais, para conhecer informações atualizadas em matéria de tráfego e mobilidade em Barcelona e na Catalunha”.

Avisos de alerta
Por seu lado, o Ministério dos Negócios Estrangeiros da Bulgária recomendou que seus cidadãos evitem viajar para a Catalunha no momento, dado o perigo de que as tensões que se vive na região venham a ter uma escalada.

Através de uma declaração publicada hoje, em seu site, o Ministério alerta para o risco de que as principais atrações turísticas de Barcelona e outras áreas da Catalunha se transformem em cenários de tumultos e violência.

Também a Coreia do Sul recomendou hoje aos seus cidadãos que se abstenham de viajar para a Catalunha nos próximos dias devido às “contínuas manifestações” e ao corte de estradas de transporte, como aeroportos, para protestos contra as penas de prisão aplicadas a líderes catalães independentistas.

Numa declaração do Ministério dos Negócios Estrangeiros, Seul desaconselhou os sul-coreanos a visitar esta comunidade autónoma espanhola “por razões de segurança”, devido aos protestos que ocorrem desde a última segunda-feira.

O Supremo Tribunal espanhol condenou, na segunda-feira, os principais dirigentes políticos envolvidos na tentativa de independência da Catalunha a penas que vão até um máximo de 13 anos de prisão, desencadeando movimentos de protesto de grupos de independentistas em todo o território da comunidade autónoma espanhola mais rica.

Nas últimas três noites as manifestações na Catalunha, e sobretudo em Barcelona, ficaram marcadas por confrontos entre grupos violentos e as forças de segurança.

Cerca de 100 pessoas foram detidas e 194 agentes da polícia ficaram feridos desde o início dos protestos contra a sentença que condenou 12 dirigentes políticos catalães, anunciou hoje o Governo espanhol.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
Ricardo Mourinho Félix, Secretário de Estado Adjunto e das Finanças. 
( Filipa Bernardo/ Global Imagens )

“Cidadãos não vão tolerar situações que ponham estabilidade financeira em risco”

Ricardo Mourinho Félix, Secretário de Estado Adjunto e das Finanças. 
( Filipa Bernardo/ Global Imagens )

“Cidadãos não vão tolerar situações que ponham estabilidade financeira em risco”

Lisboa, 22/11/2019 - Money Conference, Governance 2020 – Transparência e Boas Práticas no Olissippo Lapa Palace Hotel.  António Horta Osório, CEO do Lloyds Bank

( Filipa Bernardo/ Global Imagens )

Horta Osório: O malparado na banca portuguesa ainda é “muito alto”

Outros conteúdos GMG
Portugal aconselha atenção a quem viaje para a Catalunha