financiamento

Portugal agenda emissão de dívida para reembolsar FMI

Cristina Casalinho, presidente do IGCP
Cristina Casalinho, presidente do IGCP

O Tesouro quer obter até 1,25 mil milhões em dívida a cinco e dez anos na próxima quarta-feira. Operação fecha o financiamento do ano.

A Agência de Gestão da Tesouraria e da Dívida Pública anunciou uma nova operação de financiamento para a próxima quarta-feira. A entidade liderada por Cristina Casalinho pretende obter entre 1000 milhões e 1.250 milhões de euros em obrigações a cinco e a dez anos. O motivo da emissão, que deverá fechar o financiamento do ano, é para fazer um novo reembolso antecipado ao Fundo Monetário Internacional.

“O IGCP, E.P.E. vai realizar no próximo dia 14 de novembro pelas 10:30 horas dois leilões das OT com maturidade em 25 de outubro de 2023 e 17 de outubro de 2028, com um montante indicativo global entre 1000 milhões euros e 1250 milhões de euros”, informou a agência numa nota enviada às redações. E explica que “com este leilão, o IGCP tenciona pagar antecipadamente parte do empréstimo do FMI”.

O Secretário de Estado Adjunto e das Finanças, Mourinho Félix, tinha sinalizado numa entrevista ao Jornal Económico que o Tesouro pretendia pagar antecipadamente mais dois mil milhões de euros ao FMI até final do ano. Portugal ainda deve 4,6 mil milhões de euros à entidade liderada por Christine Lagarde.

Os analistas do Commerzbank já antecipavam que o Tesouro regressasse ao mercado na próxima quarta-feira. Na próxima semana, além de Portugal, estarão também no mercado à procura de financiamento países como Itália, Holanda e Alemanha. Apesar da concorrência para obter dinheiro dos investidores, o banco alemão diz numa nota, a que o Dinheiro Vivo teve acesso, que não deverão existir muitas dificuldades em obter os montantes pretendidos.

No mercado secundário, que serve como um barómetro de quanto o Estado terá de pagar para se financiar, os investidores exigem uma taxa de 0,754% para comprar Obrigações do Tesouro a cinco anos e 1,947% para deterem títulos a dez anos.

Atualizada às 13:15 com mais informação

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
Dos blueprints  dos primeiros automóveis, ao topo dos carros elétricos atuais, de elon Musk, em homenagem, a Nikolas Tesla.
Ilustração: VITOR HIGGS

Automóvel. Em 20 anos do euro mudou tudo, menos a carga fiscal e o líder

João Vieira Lopes, presidente da Confederação do Comércio e Serviços.
(Jorge Amaral/Global Imagens)

Vieira Lopes: “Metas do governo são realistas mas é preciso investimento”

A EDP, liderada por António Mexia, vai pagar o maior cheque de dividendos da bolsa nacional.

PSI20. Menos lucros mas o mesmo prémio aos acionistas

Outros conteúdos GMG
Conteúdo TUI
Portugal agenda emissão de dívida para reembolsar FMI