dívida pública

Portugal colocou 1.000 ME de dívida a longo prazo a juros mais altos

Cristina Casalinho, presidente do IGCP. Fotografia: Diana Quintela / Global Imagens
Cristina Casalinho, presidente do IGCP. Fotografia: Diana Quintela / Global Imagens

Portugal colocou esta quarta-feira mil milhões de euros em dois leilões de Obrigações do Tesouro (OT) a cinco e dez anos, pagando mais do que nos anteriores leilões comparáveis, fruto de uma maior instabilidade da zona euro.

De acordo com os dados da agência financeira Bloomberg, nas obrigações com maturidade em outubro de 2023, Portugal emitiu 412 milhões de euros e pagou uma taxa de juro de 0,746%, acima dos 0,529% que pagou na emissão comparável anterior há cerca de um mês.

A procura superou em 2,7 vezes a oferta, sendo que, na operação anterior, este rácio tinha sido de 2,79 vezes.

Portugal emitiu ainda 588 milhões de euros em títulos de dívida a dez anos, com a taxa de juro fixar-se em 1,919%, acima dos 1,67% que pagou na operação comparável.

A procura superou em 2,28 vezes a oferta, tal como na emissão do início de maio.

Os juros da dívida portuguesa têm vindo a aliviar nas últimas sessões, depois de terem disparado em resultado da tensão política na Europa, com a mudança de governo em Espanha e o novo Executivo em Itália.

A juntar-se a esta tensão, está ainda a expectativa dos investidores em torno do que irá fazer o BCE, que aguardam pela reunião de política monetária de quinta-feira.

O BCE deverá deixar as taxas de juro inalteradas na próxima reunião de política monetária, com os analistas ouvidos pela Lusa à espera de indicações mais claras sobre o final do programa de compra de ativos.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
REUTERS/James Lawler Duggan

Trump ameaça impor taxa de 20% aos carros europeus

Fotografia: JOSÉ SENA GOULÃO/LUSA

China State Construction quer mais negócios além da Lusoponte

Fotografia: D.R.

OPEP aumenta produção. Mas preço do petróleo sobe

Outros conteúdos GMG
Portugal colocou 1.000 ME de dívida a longo prazo a juros mais altos