eletricidade

Portugal e Espanha querem saber porque subiu 20% o preço da eletricidade

eletricidade

Os preços da eletricidade no mercado grossista em Portugal e Espanha subiram 20% nas últimas semanas. Lisboa e Madrid querem explicações.

Portugal e Espanha estão preocupados com o aumento “anormal” do preço da eletricidade no mercado grossista e pediram aos reguladores e respetivas autoridades da concorrência uma avaliação. No imediato, vai ser criado um grupo de trabalho para analisar a situação, anunciaram esta terça-feira os secretários de Estado da Energia de Portugal e Espanha.

Para Lisboa e Madrid não há explicação aparente para esta subida no preço grossista, uma vez que a capacidade hídrica é, este ano, maior do que em 2017 que registou um longo período de seca. “Não é uma situação fácil de explicar” admitiu o secretário de Estado espanhol, José Domínguez Abascal. Já para o homólogo português, Jorge Seguro Sanches, “é preciso ter a certeza que o mercado trabalha com regras transparentes”, adiantando que o Governo tem estado a trabalhar com o regulador (Entidade Reguladora dos Serviços Energéticos) desde junho para avaliar a situação.

Fonte: MIBEL

Fonte: MIBEL

Para já, os dois Governos decidiram avançar com a criação de um grupo de trabalho para analisar a situação, mas não há data para apresentação de resultados. “Para já é saber como está a funcionar o mercado e até ver não faz sentido especular”, sublinhou Seguro Sanches. O governante português adianta desde já que, dependendo das conclusões deste grupo de trabalho, podem avançar com reformas no mercado elétrico. “Não excluímos a alteração de regras se chegarmos à conclusão que o mercado não está a funcionar”, adiantou o secretário de Estado.

Para o homólogo espanhol, “os preços altos são mais resultado de imperfeições do mercado, com regras desatualizadas, do que más praticas das companhias”.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
Ministro adjunto Pedro Siza Vieira. 
(Leonardo Negrão / Global Imagens)

Proposta que cria sociedades de investimento em imóveis avança até final do ano

O ministro das Finanças, Mário Centeno. Fotografia: MANUEL DE ALMEIDA/LUSA

Despesa com juros da dívida ultrapassou 5 mil milhões de euros até julho

Apple devolve à Irlanda14 mil milhões em ajudas consideradas ilícitas

Outros conteúdos GMG
Portugal e Espanha querem saber porque subiu 20% o preço da eletricidade