Portugal é o campeão europeu das remessas de dinheiro

Portugal é o país da União Europeia que recebe mais remessas líquidas de emigrantes, segundo os dados compilados pelo Eurostat.

Em 2014, a economia portuguesa registou a entrada de 4,78 mil milhões de euros e a saída de 1,18 mil milhões, para um impacto líquido de 3,6 mil milhões de euros. O valor do saldo relativo ao ano passado é idêntico ao registado em 2013, ainda que tanto as entradas como as saídas de remessas tenham caído no ano passado. Os 3,6 mil milhões de impacto positivo em  2013 surgiram graças à entrada de 5,04 mil milhões e à saída de 1,43 mil milhões.

Depois de Portugal, segue-se a Polónia (saldo de 2,6 mil milhões) e a Roménia (1,58 mil milhões) e, já abaixo dos mil milhões, a Lituânia, Bulgária e Croácia.

No lado oposto à posição portuguesa encontra-se a França, país onde as remessas de emigrantes atingem o maior impacto pela negativa. Em 2013 a economia francesa recebeu 541 milhões e enviou 8,95 mil milhões, valores que em 2014 passaram a 473 milhões para 9,38 milhões, superando os -8,4 mil milhões de euros de saldo nas contas do país. Itália (-4,46 mil milhões) e Reino Unido (-4,42 mil milhões) são os seguintes países da União Europeia com os maiores saldos negativos entre entradas e saídas de remessas.

Em termos globais, os 22 países da União Europeia sobre os quais há dados receberam 10,3 mil milhões de euros e enviaram 28,3 mil milhões em 2013, para um saldo de -17,9 mil milhões. Em 2014, este saldo global cresceu para -18,3 mil milhões, com a entrada de 11 mil milhões e a saída de 29,3 mil milhões.

remessas-05

Recomendadas

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de