pensões

Portugal é o quarto país da OCDE que mais gasta com pensões

Fotografia: Igor Martins/ Global Imagens.
Fotografia: Igor Martins/ Global Imagens.

Os gastos com prestações sociais representam 13,3% do produto interno bruto português.

Portugal está entre os países da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Económico (OCDE) que mais gasta com prestações sociais, sendo o quarto onde a despesa com pensões é maior, representando 13,3% do PIB, segundo um estudo divulgado esta quarta-feira.

De acordo com o relatório da OCDE, os gastos sociais públicos nos países eram, em média, superiores a 20% do Produto Interno Bruto (PIB) em 2018. Em Portugal a percentagem situava-se acima da média, em 22,6%. Os gastos públicos sociais foram maiores em França (31,2%), na Bélgica (28,9%) e na Dinamarca (28,7%) e menores no México (7,5%), no Chile (10,9%) e na Coreia (11,1%).

Quanto às prestações sociais, os 36 países da OCDE, registaram gastos em média de 12% do PIB, mas em países como Portugal, Itália, Polónia a despesa foi superior a 70%, com destaque para as pensões. As pensões representam a maior fatia da despesa social nos países da OCDE, correspondendo em média a 8% do PIB, seguido da despesa com saúde, com 5,7%.

Portugal está acima da média nas duas áreas, surgindo em quarto lugar no que diz respeito aos gastos com pensões de velhice e de sobrevivência, com um peso de 13,3% do PIB. Apenas a Grécia, Itália e França apresentam uma despesa maior com aposentações, de 16,9%, 16,2% e de 13,9% respetivamente.

Já os gastos com saúde pesam em Portugal 5,9% do PIB, situando-se o país a meio da tabela. França é o país que mais gasta com a saúde (8,8%) seguida pelos Estados Unidos (8,5%).

No entanto, enquanto os gastos sociais privados em saúde representam um adicional de 1,6% em França, nos EUA chegam a 6,8% do PIB.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
Dívida pública está nos 130,3%

Endividamento da economia atinge novo recorde em abril

O ministro do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social, José Vieira da Silva, fala perante a Comissão de Trabalho e Segurança Social, na Assembleia da República, em Lisboa, 26 de junho de 2019. TIAGO PETINGA/LUSA

Mais 93 mil novas pensões atribuídas até julho

Luís Lima, APEMIP

Imobiliárias temem fuga de clientes com nova lei de combate ao branqueamento

Outros conteúdos GMG
Portugal é o quarto país da OCDE que mais gasta com pensões