retalho

Portugal é o que mais sobe na compra de bens de grande consumo

Fotografia: Vítor Rios/Global Imagens
Fotografia: Vítor Rios/Global Imagens

Consumo aumentou 6,7% no final do ano passado, segundo a Nielsen. Supermercados são o canal de vendas mais importante.

Os consumidores portugueses estão mais confiantes. De acordo com os números mais recentes da consultora Nielsen, no último trimestre de 2017, o consumo nacional cresceu 6,7% em valor, o mais elevado entre todos os países estudados, entre eles França, Itália, Reino Unido, Espanha, Alemanha, Bélgica e Holanda. O relatório “Growth Reporter”, agora divulgado, que compara as vendas de bens de grande consumo em hipermercados, supermercados, lojas discount, grossistas e lojas tradicionais, mostra também que Portugal alcançou 84 pontos (mais dez pontos face ao período homólogo) no índice de confiança dos consumidores, acima de países como França ou Itália, e a apenas três pontos de alcançar a média europeia.

Em termos de valor, os supermercados continuam a ser o canal mais importante para as vendas de bens de grande consumo (66%), seguindo-se os hipermercados (26%) e os minimercados e as lojas tradicionais (8%). Ainda assim, os pequenos formatos estão a crescer acima da média (5,3%, em relação a um crescimento médio de todos os canais de venda de 4,2%), além de que “esta tendência demonstra que o consumidor está cada vez mais atento à conveniência e proximidade”.

No carrinho de compras dos portugueses entraram mais produtos de mercearia (38,3%), laticínios (18%), produtos de higiene (11,2%), bebidas alcoólicas (10,7%), produtos de limpeza (8,1%), bebidas não alcoólicas (6,9%) e produtos congelados (6,8%). A categoria mais dinâmica foi a das bebidas (cresceram 10,6% as não alcoólicas e 7% as alcoólicas). “Depois de um período de crise, o clima económico vivido em Portugal é favorável, com um aumento do PIB e dos preços, também suportado pelo crescimento da atividade turística. Além disso, a confiança dos consumidores portugueses cresceu significativamente, tendo atingido nos últimos trimestres valores nunca antes alcançados. Os consumidores portugueses acreditam que vão adquirir melhores condições profissionais e financeiras, refere Gustavo Núñez, “managing director” da Nielsen para a região ibérica.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
Casas em leilão

Selo sobre venda de casas deu num ano mais 50 milhões de euros ao Estado

Former U.N. chief Kofi Annan addresses an advisory commission in Sittwe, Myanmar, September 6, 2016. REUTERS/Wa Lone

Kofi Annan: O diplomata premiado pela defesa da paz

Carlos Saturnino, Sonangol.

( Filipa Bernardo/ Global Imagens )

Sonangol vai manter posições na Galp e no BCP

Outros conteúdos GMG
Portugal é o que mais sobe na compra de bens de grande consumo