financiamento

“Portugal é um dos melhores destinos para startups e empresas em crescimento”

Porto, 25/09/2017
Kaushal Chokshi, empresário indiano que criou o grupo Scaale Fotografia: Pedro Kirilos / Global Imagens

Kaushal Chokshi é um “arquiteto” na criação de riqueza. Saúda a “conquista” pelo país da Web Summit, mas defende que Silicon Valley não é o modelo.

“Portugal está bem colocado na ‘economia do conhecimento’. Acredito que o país é um dos melhores destinos para startups e empresas em crescimento acelerado.” Quem o diz sabe do que fala. Chama-se Kaushal Chokshi. É um empresário indiano que vive nos EUA e já deu 15 vezes a volta ao mundo. Passou há dias por Portugal, onde conversou com o Dinheiro Vivo e se deixou fotografar junto da escultura da Anémona, em Matosinhos, obra concebida pela artista norte-americana Janet Echelman.

Tal como a escultura, cuja estrutura de metal e rede remete para a ideia de movimento, fluidez e elasticidade, a economia está sempre em movimento e Kaushal Chokshi não cessa de procurar novas soluções para criar riqueza em qualquer dos quatro cantos do globo. O grupo Scaale, por si fundado, ajuda as empresas a obter, a nível internacional, capital inteligente (dinheiro, conhecimento, acesso a mercados). “Este é um aspeto determinante para que um negócio local assuma uma dimensão global”, sublinha.

Mas, afinal, o que atrai um investidor quando olha para indicadores macroeconómicos de um país? No caso de Portugal, o upgrade pela S&P do nosso risco da dívida pública será assim tão importante? “Eu acho que os indicadores como a estabilidade política, ambiente amigável para os negócios, políticas laborais adaptadas à ‘economia gig’ (freelance) e culturas globais são os ingredientes corretos de um ecossistema de sucesso para startups e empresas em expansão acelerada”.

websummitE eventos como a Web Summit, que Portugal vai acolher pelo segundo ano, são importantes para a nossa economia? A resposta é afirmativa, mas contém um pequeno alerta. “Certames como a Web Summit são sempre positivos pelo facto de chamarem a atenção dos stakeholders da inovação para o país. No entanto, neste caso, Portugal está a competir com pelo menos cem hotspots. O desafio é não seguir cegamente modelos como o de Silicon Valley. Se o país quer ser um polo de inovação e manter os empregos, não é a apoiar startups que tendem a sair para outros países que vai conseguir criar empresas sustentáveis”.

www.turbo_.pttesla-3-635-1-fdf36900649805537f1abb7249e17c76dd7445f4-2291f5a02800f30b2d78cbabdc3ded4ef944c553Conhecedor profundo das empresas mais disruptivas norte-americanas, Chokshi, que está a viver nos EUA desde há 20 anos, admite que Portugal pode ser um bom destino para a próxima fábrica da Tesla na Europa. “Com um investimento-âncora como a Tesla, Portugal pode desenvolver um hub de soluções para transporte pessoal”.

Quanto ao Facebook, será que estamos perante o fim da linha em termos de redes sociais? “O iPhone foi lançado há dez anos. Era impossível imaginar como seria a nossa vida atual. O smartphone mudou tudo. Usando a mesma lógica, as pessoas acreditam que dentro de dez anos nós estaremos a usar algo que ainda não foi inventado”.

Fotografia: REUTERS/Andrew Kelly/File PhotoNa economia norte-americana existe uma espécie de realidade paralela: a bolsa de valores, cujos índices (Dow Jones, S&P 500, entre outros) teimam em bater recordes desde que Donald Trump assumiu a Casa Branca. “Wall Street é um negócio à parte. Muitas vezes, usam-se notícias para gerar volatilidade e criar especulação que nada tem que ver com o desempenho real das empresas. Estamos no mundo das fake news”, considera o empresário indiano.

Depois de visitar algumas vezes o Porto e contactar com stakeholders do ecossistema local de negócios, o Scaale escolheu a Gestluz Consultores como parceiro local. Mas porquê o Porto e Norte de Portugal? “O Porto e toda a região oferecem vantagens únicas para se tornarem um hub global na economia do conhecimento. O talento altamente especializado aí existente é um ponto a favor. O custo de fazer negócios é baixo comparativamente a outros locais na Europa. Portugal está no mesmo horário do Reino Unido e isso é crucial. O aeroporto do Porto está bem ligado com as cidades europeias e norte-americanas. As pessoas são simpáticas e a maioria fala inglês”.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
REUTERS/Darren Staples

Vários ministros britânicos apresentam demissão

Fotografia: D.R.

Donos das casas exploram menos de metade dos AL

REUTERS/Vincent Kessler - RC1E65178DF0

“As eleições europeias vão sofrer muito com o fenómeno das fake news”

Outros conteúdos GMG
“Portugal é um dos melhores destinos para startups e empresas em crescimento”