Turismo

Portugal entre os destinos preferidos do mercado britânico para 2019

Fotografia: Andy Rain/ EPA.
Fotografia: Andy Rain/ EPA.

Estudo da associação de agências de viagens britânica mostra que 61% dos turistas ingleses planeiam passar férias no continente europeu.

Mesmo em tempos difíceis, provocados pelo divórcio entre o Reino Unido e a União Europeia, as viagens continuam a ser uma prioridade e os ingleses não pretendem virar costas ao Velho Continente e a Europa continuará a ser destino de eleição. Dados de um estudo da Associação de Agências de Viagens Britânica (ABTA), a que o DN/DV teve acesso, mostram que 61% dos turistas ingleses planeiam passar férias no Continente europeu. Bulgária, Galiza, Portugal, Polónia e Austrália são os principais destinos.

Sai Algarve, entra Madeira
Ainda assim, o cinto é para continuar apertado. “As preocupações dos turistas ingleses têm aumentado ligeiramente. Nota-se alguma confusão sobre o impacto do brexit nas viagens”, revela fonte da associação britânica ao DN/DV. Por isso, realça, 59% dos britânicos planeia fazer férias no Reino Unido. “Os destinos onde a libra vale mais serão os mais procurados no próximo ano”, diz. O segundo fator a pesar na escolha será a “boa relação qualidade-preço”, onde Portugal continua a destacar-se, mostrando que o mercado está a responder à aposta de promoção do país.

Em solo português, a Madeira tem razões para sorrir. Ao contrário do Algarve, a região autónoma aparece ao lado de destinos como o Japão, no relatório da congénere britânica da Associação Portuguesa das Agências de Viagens e Turismo.

Brasil a subir
Até setembro, os hotéis nacionais receberam mais de 1,4 milhões de turistas ingleses, revelando uma ligeira queda face aos nove primeiros meses do ano passado, de acordo com o Instituto Nacional de Estatística (INE). A desvalorização da libra e os preços muito atrativos da Turquia, Egito e Tunísia explicam a quebra no número de hóspedes britânicos, que são quem tem mais peso no total das dormidas de estrangeiros em Portugal (20,2%).

Apesar dos esforços para inverter a tendência, os agentes de viagens deixam um recado: as reservas do mercado inglês para a Turquia deverão aumentar 68%, enquanto para o Egito prevê-se que subam 71%.
Por outro lado, os turistas do Brasil são dos que mais gastam nos destinos e estão a viajar cada vez mais para Portugal. Em média, estão dispostos a gastar entre dois a três mil euros numa viagem de 10 dias, de acordo com a Associação Brasileira de Agências de Viagens (ABAV).

Até setembro, segundo o INE, ficaram hospedados acima de 724 mil brasileiros em unidades hoteleiras portuguesas, embora não cheguem para compensar a quebra do Reino Unido, o principal mercado emissor. O problema está na estadia, que é, por norma, mais curta.

Ao DN/DV, o presidente da ABAV, Geraldo Rocha, avança que 40% dos brasileiros admite ter planos para viajar para fora do país em 2019. Argentina, Chile, Peru, Estados Unidos da América, Europa e Caribe são os destinos mais procurados. Em Portugal, Lisboa, Coimbra, Algarve e Porto surgem no topo das escolhas. O motivo do apetite por terras lusas? “Está muito ligado aos esforços promocionais que Portugal faz junto do setor turístico brasileiro”, explica.

Geraldo Rocha sublinha ainda que “existe uma grande sinergia natural entre os dois países, até por causa da história da colonização portuguesa. Depois, há outros fatores: o idioma, bom transporte aéreo, clima, assim como a oferta cultural e gastronómica, um chamariz natural do país”.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje

Página inicial

O antigo ministro das Finanças, Teixeira dos Santos ouvido na II Comissão Parlamentar de Inquérito à Recapitalização da Caixa Geral de Depósitos e à Gestão do Banco. Assembleia da República, Lisboa, 19 de junho de 2019. MIGUEL A. LOPES/LUSA

As razões de Teixeira dos Santos – e aquilo que nunca soube

O antigo ministro das Finanças, Teixeira dos Santos ouvido na II Comissão Parlamentar de Inquérito à Recapitalização da Caixa Geral de Depósitos e à Gestão do Banco. Assembleia da República, Lisboa, 19 de junho de 2019. MIGUEL A. LOPES/LUSA

Teixeira dos Santos: Sócrates alertou que nomear Vara criaria “ruído mediático”

Outros conteúdos GMG
Portugal entre os destinos preferidos do mercado britânico para 2019