Portugal entre os dez países com menos fraudes em cartões

Cartões de crédito
Cartões de crédito

Apesar de os cartões de débito e crédito serem cada vez mais utilizados, os problemas de fraude são cada vez menos. De
acordo com o Relatório de Fraude em Cartões, divulgado hoje pelo
Banco Central Europeu (BCE), em 2011 o valor da fraude atingiu 1,16
mil milhões de euros, o que significa uma redução de 5,8%, e o
valor mais baixo desde que as fraudes começaram a cair em 2007.

Portugal está entre os dez países com menos fraudes em cartões, conquistando o sétimo lugar entre os 32 analisados pelo BCE. De acordo com o relatório, os poucos problemas existentes no país reportam-se apenas a transações feitas com o cartão à distância, ou seja através da internet ou do telemóvel.

Segundo o BCE, de 2010 a 2011
verificou-se a maior redução nos valores associados a fraudes com
cartões na Área de Pagamentos Únicos do Euro. Entre 2007 e 2011
o valor total associado a fraudes caiu 7,6%, enquanto o valor de
transações aumentou 10,3%, atingindo praticamente 3,3 biliões de
euros por cidadão.

O Banco Central Europeu, que agregou
informação prestada pelos vários Bancos Centrais explica que esta
redução se deve a uma melhoria nas estruturas de pagamento, que
justificam a cada vez menor incidência de problemas nos terminais de
multibanco. A introdução de chips nos cartões, diz, foi crucial
para limitar as fraudes na região.

Mas a boa média geral não impede que
alguns países tenham saído mais prejudicados nesta questão. Entre
os Estados que pagaram uma factura maior por causa das fraudes com
cartões de crédito estão o Luxemburgo, a França e o Reino Unido
que experimentaram a maior proporção de perdas. A Irlanda também
se mostrou bastante exposta a fraudes já que teve mais de 1000
transações fraudulentas comparando com a média da zona euro.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Outros conteúdos GMG
Hoje
lisboa casas turismo salarios portugal

Turismo em crise já pensa no day after

O ministro da Economia, Pedro Siza Vieira. TIAGO PETINGA/LUSA

Governo estima que mais de um terço dos empregados fique em lay-off

Mário Centeno, Ministro das Finanças.
Fotografia: Francois Lenoir/Reuters

Folga rara. Custo médio do petróleo está 10% abaixo do previsto no Orçamento

Portugal entre os dez países com menos fraudes em cartões