Portugal entre os países com maior quebra no desemprego de longa duração

Portugal está entre os países da União Europeia onde o desemprego de longa duração (superior a 12 meses) mais recuou em 2015.

Entre o final de 2014 e 2015, o desemprego de longa duração recuou 1,1 pontos percentuais, o que o coloca entre os países da UE com maior recuo naquele que é considerado um dos maiores problemas do desemprego.

Apesar do recuo verificado, Portugal continua a ostentar uma taxa de desemprego de longa duração das mais elevadas no conjunto da União Europeia com 7% dos desempregados e registarem um período de permanência sem trabalho superior a 12 meses. Com taxas mais elevadas, estão apenas a Grécia (18,1%), Hungria (10,1%) e Espanha (10,5%).

A par da Bélgica, Espanha é, de resto, o país da UE onde o DLD mais recuou entre 2014 e 2015, havendo a registar uma descida de 2,26 pontos percentuais. Ao nível da UE, a desemprego de longa duração atenuou-se em 0,6 pontos.

A mesma publicação analisa também as vagas de emprego existentes em cada país, sendo que Portugal ocupa aqui o penúltimo lugar de uma tabela, apenas superado pela Grécia. A taxa de empregos disponíveis ronda por cá os 0,7%, bem longe dos 2,6% registados na Bélgica ou dos 2,5% da Alemanha.

 

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de