Portugal faz bem e no estrangeiro já sabem disso

Sapatos Helsar
Sapatos Helsar

Primeiro, fala-se em pouco mais do que o vinho… do Porto. Mas hoje, os produtos portugueses, desde os sapatos da moda à roupa e aos têxteis inovadores, passando pelo papel higiénico, azeite ou até mesmo pela tecnologia, ganham cada vez mais destaque na imprensa internacional.

Ainda há pouco mais de uma semana, o prestigiado Financial Times elogiava o papel higiénico preto da Renova, o favorito do produtor de televisão Simon Cowell, e os sapatos da Helsar, uma empresa de Santa Maria da Feira, que foram usados pela mãe e a irmã de Kate Middleton no casamento com o príncipe William.

E quem não sentiu uma ponta de orgulho quando Oprah Winfrey, em direto no seu programa de televisão, fez os mais rasgados elogios aos sabonetes da Ach Brito, abrindo assim portas para um novo mercado da centenária empresa de Vila do Conde?

Também recentemente a imprensa canadiana deu destaque aos Vinhos Ameal. Aliás, os vinhos portugueses são cada vez mais referências nas páginas da imprensa internacional, desde chinesa à inglesa. E os exemplos de sucesso são imensos. Em 2008 as Confecções Petratex, de Paços de Ferreira, encheram páginas de jornais, tudo porque a empresa portuguesa fabricou os fatos de banho com que Michael Phelps pulverizou recordes nos Jogos Olímpicos de Pequim. Os caiaques fabricados pela empresa Nelo já quase não precisam de apresentações.

Só a cortiça teve 8682 artigos na imprensa estrangeira, durante o ano de 2011. A região vinhateira do Douro fez reportagem no South China Morning Post. E há imensas notícias sobre o azeite português na imprensa da China, um mercado que começa a ganhar força para as exportações nacionais. A moda e o mobiliário de design arrojado são também sectores com notoriedade internacional, seja em jornais generalistas ou revistas de moda como a Vogue, ao ponto de Michelle Obama ter dado os parabéns ao estilista Luís Onofre pelas suas criações. Mas também se fala de inovação: desde a Ndrive, líder mundial em software de GPS;_à TIMWE, que vende para todo o mundo aplicações para telemóveis; até aos jogos da Digital Minds.

Para o presidente da AICEP, as referências aos nossos produtos na imprensa internacional ajudam a imagem do País, “em particular se sublinharem, como aconteceu com o Finantial Times, produtos e empresas de excelência, focadas na internacionalização e em subir na cadeia de valor”.

Pedro Reis lembra que para concorrer no mercado global “há que ter um posicionamento e uma estratégia clara e toda a publicidade positiva em torno dos nossos produtos e empresas contribuem para uma perceção positiva sobre o nosso país”.

A s exportações portuguesas aumentaram 11,6% no primeiro trimestre do ano . No entanto, o investimento feito por Portugal no exterior desceu 43,4%, para 2,8 mil milhões de euros, dadas as dificuldades de financiamento.

“Em todos os setores há oportunidades de crescimento”, garante Pedro Reis. Portugal oferece nos mais diversos setores, dos tradicionais aos de ponta “um vasto conjunto de produtos e serviços que estão ao nível do que de melhor, mais sofisticado e avançado se faz no mundo”. O papel de escritório, onde Portugal é líder mundial, a cortiça e o vestuário inteligente “são alguns produtos de excelência que vingam nos mercados externos”. Mas muitas oportunidades à espera. É que Portugal faz bem… e no estrangeiro já sabem disso.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
Fotografia: Orlando Almeida/Global Imagens

Turismo vale 16% da atividade económica portuguesa

Mário Centeno, ministro das Finanças. Fotografia: REUTERS/Rafael Marchante

Défice público cai 59% até ao final de outubro

Marco Schroeder

Marco Schroeder renuncia a cargo de CEO da Oi

Outros conteúdos GMG
Conteúdo Patrocinado
Conteúdo TUI
Portugal faz bem e no estrangeiro já sabem disso