cerveja

Portugal foi o terceiro país da UE onde a produção de cerveja mais cresceu

cerveja

Um estudo do Eurostat revela que foram produzidos quase 81 litros por cidadão no espaço comunitário.

Portugal foi o terceiro país da União Europeia (UE) onde a produção de cerveja com álcool mais cresceu em 2017, indica um estudo do Eurostat, que revela que foram produzidos quase 81 litros por cidadão no espaço comunitário.

O estudo, publicado esta sexta-feira por ocasião do Dia Mundial da Cerveja, indica que a UE produziu mais de 41 mil milhões de litros de cerveja em 2017, mais 2,5 mil milhões do que no ano anterior, o que equivale a quase 81 litros desta bebida por cada cidadão comunitário.

Segundo o gabinete de estatísticas da UE, a Holanda foi o país dos 28 em que a produção mais aumentou em 2017, por comparação com 2016, tendo disparado 48%. Reino Unido (14%) e Portugal, com 11%, completam o ‘pódio’ deste ‘ranking’.

No entanto, e apesar do aumento exponencial da produção, Portugal está longe de entrar no lote de maiores produtores de cerveja, que é encabeçado pela Alemanha, que gera 8,1 mil milhões de litros — um de cada cinco litros da bebida produzidos na UE tem origem nas fábricas alemãs.

À Alemanha, responsável por 20% da produção comunitária, seguem-se o Reino Unido (5,6 mil milhões de litros, ou 14%), a Polónia (4 mil milhões ou 10%), a Holanda 3,9 mil milhões ou 9%), a Espanha (3,6 mil milhões ou 9%) e a Bélgica (2,4 mil milhões ou 6%).

Os restantes Estados-membros produziram ‘apenas’ 13,6 mil milhões de litros, o equivalente a 33% do total.

Países de cerveja de e por excelência, Holanda (1,9 mil milhões de litros), Alemanha e Bélgica (ambos com 1,6 mil milhões) foram os principais exportadores para destinos fora da UE.

Quase uma em cada três cervejas com álcool exportadas pelo bloco comunitário em 2017 foram para os Estados Unidos (1,1 mil milhões de litros), seguindo-se a China (520 milhões), o Canadá (210 milhões) e a Coreia do Sul (175 milhões).

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
Ricardo Mourinho Félix, Secretário de Estado Adjunto e das Finanças. 
( Filipa Bernardo/ Global Imagens )

“Cidadãos não vão tolerar situações que ponham estabilidade financeira em risco”

Ricardo Mourinho Félix, Secretário de Estado Adjunto e das Finanças. 
( Filipa Bernardo/ Global Imagens )

“Cidadãos não vão tolerar situações que ponham estabilidade financeira em risco”

Lisboa, 22/11/2019 - Money Conference, Governance 2020 – Transparência e Boas Práticas no Olissippo Lapa Palace Hotel.  António Horta Osório, CEO do Lloyds Bank

( Filipa Bernardo/ Global Imagens )

Horta Osório: O malparado na banca portuguesa ainda é “muito alto”

Outros conteúdos GMG
Portugal foi o terceiro país da UE onde a produção de cerveja mais cresceu