Turismo

Portugal fora de ponte aérea com Reino Unido, avança The Telegraph

O Algarve é a maior região turística  do país. Foto: D.R.
O Algarve é a maior região turística do país. Foto: D.R.

Surto de coronavírus em Lisboa explica exclusão de Portugal da lista inicial de países com corredor aéreo para o Reino Unido, assegura diário britânico

Portugal deverá ter sido excluído da lista inicial de países com corredor aéreo para o Reino Unido, avança esta manhã o diário britânico The Telegraph. Ou seja, quem chegar àquele país vindo de Portugal terá de cumprir os 14 dias de quarentena exigidos pelo governo de Boris Johnson.

“O país tem estado na linha da frente das negociações para acordos de viagem bilaterais, mas de acordo com fontes, o recente surto de coronavírus significa que terá de esperar”, avança o jornal.

A correspondente do diário britânico no Algarve, Natasha Donn, afirma que será “um rude golpe para as autoridades [portuguesas] que envidaram todos os esforços na promoção dos destinos turísticos como covid-safe“.

O jornal escreve ainda que o “Turismo de Portugal deverá ficar profundamente desapontado. O presidente, Luís Araújo, disse esta semana ao Telegraph que estava otimista de que o Reino Unido estaria ‘totalmente confiante’ para que os britânicos regressassem”.

Outros populares destinos de férias para os britânicos, como Turquia, Croácia e Estados Unidos também deverão ser excluídos da lista inicial de países com corredor aéreo para o Reino Unido, avança o Telegraph.

Mas se estes países e Portugal ficam de fora, já o mesmo não acontecerá com destinos turísticos concorrentes, como Espanha, França e Itália.

As informações veiculadas pela imprensa britânica sobre esta matéria têm sido contraditórias. Ainda ontem um representante de mais de 500 empresas turísticas britânicas mostrou-se confiante de que Portugal será incluído nos primeiros “corredores aéreos” com o Reino Unido. Portanto, certezas só quando a lista for divulgada pelo executivo britânico, o que deverá acontecer na próxima segunda-feira.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Outros conteúdos GMG
Hoje
Fotografia: José Carmo/Global Imagens

ISEG estima queda do PIB entre 8% e 10% este ano

António Mota, fundador da Mota-Engil. Fotografia: D.R.

Mota-Engil é a única portuguesa entre as 100 maiores cotadas do setor

António Rios Amorim, CEO da Corticeira Amorim. Fotografia: Tony Dias/Global Imagens

Lucros da Corticeira Amorim caíram 15,1% para 34,3 milhões no primeiro semestre

Portugal fora de ponte aérea com Reino Unido, avança The Telegraph