exportações

Portugal perde anualmente quase tantos exportadores como ganha

Eurico Brilhante Dias,
secretário de Estado da Internacionalização. (Fotografia: Global Imagens)
Eurico Brilhante Dias, secretário de Estado da Internacionalização. (Fotografia: Global Imagens)

Segundo o secretário de Estado da Internacionalização, número total de exportadores é hoje "apenas ligeiramente superior" ao registado há dez anos.

O secretário de Estado da Internacionalização, Eurico Brilhante Dias, afirmou hoje que Portugal perde anualmente quase tantos exportadores como ganha e que este “número negativo” tem de ser combatido com a qualificação de recursos humanos.

“Todos os anos Portugal tem mais cinco mil a seis mil exportadores, o que significa que, se o número global não cresce, é porque todos os anos Portugal perde cinco mil a seis mil exportadores, ou seja, empresas que exportaram uma primeira vez e que depois não continuaram o processo exportador”, afirmou.

O governante falava na Covilhã, distrito de Castelo Branco, onde esteve presente na sessão de assinatura de um protocolo entre a Universidade da Beira Interior e a Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal, que visa a criação de uma formação avançada no setor das exportações.

Durante a cerimónia, Eurico Brilhante Dias destacou que os números das exportações estão a crescer, mas também ressalvou que apesar de “todos os anos surgirem novos exportares, o número global teima em não crescer ao mesmo ritmo”, isto porque há exportares que desistem logo após as primeiras experiências.

Centrando a análise apenas na exportação de bens e deixando de fora os serviços que têm estado a exportar mais, o governante também referiu que atualmente há entre 21 a 22 mil exportadores, número que é “apenas ligeiramente superior” ao registado há dez anos, quando seriam cerca de 20 mil.

Segundo acrescentou, olhando para a base do setor exportador de bens também se verifica que a maioria das empresas não exporta continuadamente, sendo que os valores relativos a 2017 indicam que só 10 mil dessas empresas exportaram bens sem interrupções durante os cinco anos anteriores.

Dados que levam o secretário de Estado a afirmar que é preciso continuar a apostar na internacionalização de todo o tecido empresarial português, incluindo as empresas de menor dimensão.

“O grande desafio que nós temos para continuar a crescer é fazer um alargamento da base e garantir continuidade exportadora às pequenas e médias empresas, onde temos muitos milhares de postos de trabalho”, afirmou, reiterando o papel da qualificação dos quadros das empresas, que “é decisiva” para se ganhar esse combate.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
Mário Vaz, CEO da Vodafone Portugal  Fotografia: Orlando Almeida / Global Imagens

Mário Vaz. “Havendo frequências, em julho teríamos cidades 5G”

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa (C), durante a cerimónia militar do Instituto Pupilos do Exército (IPE), inserido nas comemorações do 108.º aniversário da instituição, em Lisboa, 23 de maio de 2019.  ANTÓNIO PEDRO SANTOS/LUSA

Marcelo: “Quem não for votar, depois não venha dizer que se arrepende”

Certificados

Famílias investiram uma média de 3,3 milhões por dia em certificados este ano

Outros conteúdos GMG
Portugal perde anualmente quase tantos exportadores como ganha