Brexit

Portugal pode perder mais de 9000 empregos com hard brexit

Fotografia: Toby Melville/ Reuters.
Fotografia: Toby Melville/ Reuters.

Número é bastante inferior às perdas em países como Alemanha ou França, mas peso relativo no mercado de trabalho mostra um dos maiores impactos.

A saída do Reino Unido da União Europeia sem acordo pode conduzir à perda de 9200 postos de trabalho em Portugal, calcula um estudo publicado esta segunda-feira pelo think tank alemão Halle Institute of Economic Research (IWH), segundo o qual um hard brexit, que se poderá precipitar a 29 de março, ameaça 600 mil empregos em todo o mundo.

Os dados da avaliação para Portugal revelam um número de postos de trabalho em risco bastante abaixo daqueles para que apontam as previsões para outros países europeus, como Alemanha (102.900), França (49.800), Polónia (46.500) ou Itália (46.200).

Mas é no peso relativo destes empregos no mercado de trabalho português que se revela o impacto maior. Em Portugal, o brexit põe em causa 0,2% dos empregos, com o país na 11ª posição entre os que poderão sofrer as maiores perdas relativas.

Portugal, com exportações para o Reino Unido que fazem 4,97% das vendas ao exterior, sofre em percentagem de postos de trabalho ameaçados mais do que Itália ou França, onde o peso das exportações para o Reino Unido é superior – 5,74% e 6,14%, respetivamente.

Segundo um estudo apresentado no ano passado pela Confederação Empresarial Portuguesa (CIP), as vendas portuguesas para o Reino Unido poderão cair, no pior dos cenários, em 26%. O documento indicou que as exportações mais ameaçadas serão as de tabaco, têxteis, vestuário, couro, metálicos transformados e equipamento elétrico. Na indústria, as regiões potencialmente mais afetadas encontram-se no norte do país. Já nas vendas de serviços, Algarve, Madeira e Lisboa sofrerão o maior impacto.

O Reino Unido manteve-se em 2018 como o quarto principal destino das exportações de bens portuguesas, com vendas de 3,67 mil milhões de euros. Nos serviços, via turismo, tem-se mantido como principal mercado-destino de vendas.

 

  • Países com maior impacto de um hard brexit no emprego

  • Número total de postos de trabalho ameaçados
  • 1 – Alemanha – 102.900
  • 2 – China – 58.800
  • 3 – França – 49.800
  • 4 – Polónia – 46.500
  • 5 – Itália – 46.200
  • 6 – Índia – 33.300
  • 7 – Espanha – 31.100
  • 8 – Países Baixos – 25.200
  • 9 – Irlanda – 19.800
  • 10 – Bélgica – 16.200
  • 11 – EUA – 15.900
  • 12 – República Checa – 15.600
  • 13 – Roménia – 14.300
  • 14 – Índia – 12.300
  • 15 – Rússia – 12.200
  • Percentagem de postos de trabalho ameaçados
  • 1 – México – 1,70%
  • 2 – Irlanda – 1, 03%
  • 3 – Suécia – 0,32%
  • 4 – Polónia – 0,30%
  • 5 – Países Baixos – 0,29%
  • 6 – Chipre – 0,24%
  • 7 – Alemanha – 0,24%
  • 8 – Hungria – 0,23%
  • 9 – Dinamarca – 0,23%
  • 10 – Luxemburgo – 0,22%
  • 11 – Portugal – 0,20%
  • 12 – Itália – 0,19%
  • 13 – França – 0,18%
  • 14 – Lituânia – 0,17%
  • 15 – Roménia – 0,16%
Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
(Fábio Poço/Global Imagens)

Alojamento Local. Há 11 desistências por dia desde que nova lei entrou em vigor

Fotografia: Regis Duvignau / Reuters

Clandestinidade preocupa sindicato da construção

Fotografia: REUTERS/Juan Medina

Extensão do prazo da OPA ao Dia faz parar operações de venda do grupo

Outros conteúdos GMG
Conteúdo TUI
Portugal pode perder mais de 9000 empregos com hard brexit