Reestruturação

Portugal prolonga maturidade de 532 ME de dívida para 2028 e 2034

Cristina Casalinho, presidente da Agência de Gestão da Tesouraria e da Dívida Pública. Foto: D.R.
Cristina Casalinho, presidente da Agência de Gestão da Tesouraria e da Dívida Pública. Foto: D.R.

Esta operação de troca de Obrigações do Tesouro, que permite prolongar a maturidade da dívida em circulação, é a sexta este ano.

Portugal prolongou a maturidade de 532 milhões de euros em Obrigações do Tesouro (OT) em circulação de 2021 para 2028 e 2034. Segundo a página da Agência de Gestão da Tesouraria e da Dívida Pública (IGCP), na oferta de troca de Obrigações do Tesouro, foram comprados 532 milhões de euros de “OT 3,85 abril 2021” a 106,015%.

Nesta operação, o IGCP vendeu 360 milhões de euros de “OT 2,125 outubro 2028” ao preço médio de 115,89% e 172 milhões de euros de “OT 2,25 abril 2034” ao preço médio de 120,30%.

Esta operação de troca de OT, que permite prolongar a maturidade da dívida em circulação, é a sexta deste ano, tendo o IGCP prolongado a maturidade de 910 milhões de euros em OT em circulação, de 2021 e 2022 para 2023 e 2027, em outubro, de 797 milhões de euros em OT em circulação de 2020 e 2021 para 2026 e 2028 em julho, e de 742 milhões de euros em OT em circulação de 2021 para 2026 em maio.

Antes, a instituição liderada por Cristina Casalinho tinha prolongado a maturidade de 702 milhões de euros em OT em circulação, de junho de 2020 para outubro de 2028 em janeiro, e em março, quando realizou uma oferta de troca em que prolongou a maturidade de 619 milhões de euros em OT em circulação de abril de 2021 para fevereiro de 2030.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Outros conteúdos GMG
Hoje
O presidente do Novo Banco, António Ramalho, discursa na cerimónia de lançamento do Projeto de Divulgação Cultural do Novo Banco. Fotografia: MANUEL DE ALMEIDA/LUSA

Banca custou ao Estado mais 1,5 mil milhões de euros em 2019, agora ajude

coronavirus portugal antonio costa

Proibidos ajuntamentos com mais de cinco pessoas. Aeroportos encerrados

O primeiro-ministro, António Costa, fala aos jornalistas no final da reunião do Conselho de Ministros após a Assembleia da República ter aprovado o decreto do Presidente da República que prolonga o estado de emergência até ao final do dia 17 de abril para combater a pandemia da covid-19, no Palácio da Ajuda, em Lisboa, 2 de abril de 2020. 
 MÁRIO CRUZ/POOL/LUSA

Mapa de férias pode ser aprovado e afixado mais tarde do que o habitual

Portugal prolonga maturidade de 532 ME de dívida para 2028 e 2034