Economia

Portugal regista excedente orçamental de 0,4% no primeiro trimestre

Imagem do Bairro do Castelo. (Gonçalo Villaverde / Global Imagens)
Imagem do Bairro do Castelo. (Gonçalo Villaverde / Global Imagens)

INE revelou esta segunda-feira o saldo orçamental relativo ao primeiro trimestre. Meta do governo é 0,2%

Portugal registou um excedente orçamental de 178,5 milhões de euros no final de março, mostra esta segunda-feira o Instituto Nacional de Estatística (INE). Isto equivale a 0,4% do PIB nacional.

“Tomando como referência valores trimestrais, o saldo das Administrações Públicas (AP) foi positivo no 1º trimestre de 2019, fixando-se em 0,4% do PIB”, revelou o gabinete de estatísticas nacional, recordando que no primeiro trimestre de 2018, Portugal apresentava um défice orçamental de -1%.

Face ao trimestre homólogo, no 1º trimestre de 2019 a despesa total e a receita total aumentaram 2,6% e 6,2%, respetivamente, acrescenta o INE.

Mário Centeno prevê que Portugal ainda feche o ano com um défice de 0,2%. O FMI concorda com esta previsão mas, para a Comissão Europeia, 2019 fechará com um saldo orçamental negativo de 0,4%. O Conselho de Finanças Públicas fica a meio caminho e aponta para 0,3%.

Portugal é um dos poucos países da UE que não apresentará um saldo orçamental positivo em 2019.

Em abril deste ano, após a entrega do Pacto de Estabilidade (PE) no Parlamento, Mário Centeno justificou a descida persistente no défice com a necessidade de respeitar compromissos e “enfrentar um mundo com riscos e incertezas” e “a eventualidade de uma conjuntura desfavorável” nos próximos anos. Isto é, a ideia é ter folga orçamental para poder reagir contra uma possível nova crise ou recessão.

Aquando do PE o governo reviu as suas perspetivas em baixo em toda a linha. O défice, que se previa há um ano em 0,3%, em 2019, passou para 0,2%. Para 2020, o governo passou a antecipar um excedente de 0,7%, superior ao que se calculava no PE de abril de 2017, que apontava para 0,4%.

O ministro das Finanças, Mário Centeno, atribui excedente à dinâmica da economia.

O Instituto Nacional de Estatísticas, nas Contas Nacionais Trimestrais por Setor Institucional, divulgadas esta segunda-feira, assume que a economia portuguesa apresentou uma necessidade de financiamento de 0,2% do PIB no primeiro trimestre deste ano.

“Na origem deste resultado esteve o saldo negativo nas transações de bens e serviços com o exterior, com as importações e exportações a registarem taxas de variação de 2,1% e 1,0%, respetivamente”, indica o INE.

 

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
A ministra do Trabalho, Ana Mendes Godinho (D), e o secretário de Estado do Emprego, Miguel Cabrita (E). Fotografia: MANUEL DE ALMEIDA/LUSA

Salário mínimo de 635 euros? Dos 617 dos patrões aos 690 euros da CGTP

concertação

Governo sobe, sem acordo, salário mínimo até 635 euros em 2020

concertação

Governo sobe, sem acordo, salário mínimo até 635 euros em 2020

Outros conteúdos GMG
Portugal regista excedente orçamental de 0,4% no primeiro trimestre