world footwear

Portugal regressou ao Top 20 dos maiores produtores de calçado

Indústria do calçado. 
Fotografia: Miguel Pereira/Global Imagens
Indústria do calçado. Fotografia: Miguel Pereira/Global Imagens

A indústria mundial produziu 24,3 mil milhões de pares em 2019, um novo recorde. Para 2020 é esperada uma contração do consumo

A produção mundial de calçado desacelerou em 2019, crescendo apenas 0,6%, contra os 2,2% de taxa média anual entre 2010 e 2018. Mesmo assim, estabeleceu um novo recorde: foram produzidos 24,3 mil milhões de pares. Nove em cada dez pares de sapatos são produzidos na Ásia, que reforçou o seu domínio no panorama mundial em 1,2 pontos percentuais para 87,4%. Portugal regressou ao Top 20 dos maiores produtores mundiais, para a 20ª posição, destronando o Egipto.

Estes são dados do World Footwear Yearbook 2020, o anuário lançado pela Associação Portuguesa de Calçado, a APICCAPS, e que mostra que, nos últimos 10 anos, a produção mundial do sector cresceu 21,2% e as exportações globais aumentaram 10,6% em volume e 59,1% em valor. O recorde de 24,3 mil milhões de pares de 2019 deverá “durar alguns anos”, dado o impacto da pandemia de Covid-19. Em abril, um inquérito realizado junto de mais de uma centena de profissionais do sector em 43 países apontava para uma redução do consumo mundial da ordem dos 22,5% este ano, o que, a verificar-se, significa que serão vendidos menos 5,1 mil milhões de pares. Os especialistas europeus são mais pessimistas ainda e preveem uma quebra de 27% nas vendas de sapatos, o equivalente a menos 908 milhões de pares.

Portugal conseguiu em 2019 regressar ao Top 20 dos maiores produtores mundiais, tabela de que fora ‘expulso’ no ano anterior pela entrada direta da Etiópia e pelo reforço do Egipto. País que agora caiu para a 21ª posição. A indústria portuguesa produziu 76 milhões de pares, tantos como os que exportou, o que a coloca no 19º lugar da tabela dos maiores exportadores (em volume). China, Vietname e Indonésia lideram o Top 10 das exportações e a Europa perdeu peso: a Bélgica caiu de 5º para o 7º lugar e foi ultrapassada pela Índia e pela Turquia. A Espanha saiu do top 10 com a entrada do Cambodja.

A Alemanha ocupa a 4ª posição e a Itália a 8ª, embora, em valor, os italianos estejam no pódio mundial em terceiro lugar. Com 11.497 milhões de dólares exportados em 2019, a indústria italiana é a terceira maior exportadora mundial em valor, num ano em que voltou a distanciar-se dos seus principais concorrentes reforçando o seu preço médio exportado em 2,5% para 57,11 dólares. Portugal, pelo contrário, caiu duas posições na tabela, para 15º, o que não admira, já que as exportações nacionais de calçado caíram 5,7% em 2019. O preço médio do calçado nacional exportado foi de 26,26 dólares, quase 2% a menos que no ano anterior.

Radiografia:

Consumo
Alemanha, França e Reino Unido são os únicos países europeus no ranking dos maiores consumidores de calçado no mundo. A China lidera, seguida da Índia. Os EUA estão em 3º mas a ganhar terreno.

Exportações
Foram exportados 15 mil milhões de pares em 2019, corresponde a 62% da produção. A China lidera, seguida do Vietname e Indonésia. A Alemanha ocupa o 4 lugar, Itália o 8º. Mas, em valor, está no pódio.

Preços
O preço médio de exportação mundial não chega aos 10 dólares. Mesmo assim, cresceu 43,8% numa década. A Ásia tem o valor mais baixo, com 6,93 dólares, e a Oceania o mais alto: 28,03 dólares

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Outros conteúdos GMG
Hoje
Fotografia: Arquivo/ Global Imagens

Transações de casas caíram 35,25% em abril. Preços começam a abrandar

(João Silva/ Global Imagens)

Estrangeiros compraram menos casas em Portugal em 2019. Preço por imóvel subiu

dgs covid portugal coronavirus

Mais cinco mortos e 463 infetados por covid-19 em Portugal

Portugal regressou ao Top 20 dos maiores produtores de calçado