Portugueses compram material escolar duas semanas antes do arranque das aulas

Um estudo do Observador Cetelem revela as intenções dos portugueses na hora de preparar o regresso às aulas.

Os portugueses preferem comprar o material para o regresso às aulas com duas semanas de antecedência. É essa, pelo menos, uma das principais conclusões de um estudo do Observador Cetelem sobre os hábitos de consumo dos pais com estudantes a seu cargo, na hora de preparar o arranque do ano letivo.

Num universo de mais de 500 inquiridos, 48% responderam que faz as compras duas semanas antes do início das aulas. Há também que o faça (34%) com uma semana de antecedência ou mesmo já depois do regresso à escola. Uma minoria (13%) prefere tratar de tudo com um mês ou mais de antecipação.

Geograficamente, é no Porto (57%) e no Norte (56%) que as compras se fazem maioritariamente com as duas semanas de antecedência. Comprar mais próximo do início do ano escolar – uma semana antes ou quando as aulas já começaram - ganha mais expressão na Grande Lisboa (43%) e na Região Centro (39%).

Veja aqui os conselhos da DECO na hora de preparar o regresso às aulas.

O estudo indica ainda que a maioria dos portugueses (63%) prefere fazer a totalidade das compras do material escolar num momento único. Isto acontece, sobretudo, no caso de encarregados de educação com estudantes a seu cargo no Pré-Escolar (71%) ou no 1º Ciclo (68%). É em Lisboa (82%) onde esta tendência é mais expressiva. Por outro lado, 36% dos inquiridos repartem essas compras ao longo do ano.

Em relação aos livros, 64% irão obter os livros escolares num momento diferente do restante material escolar. Para além disso, só 32% referem a intenção de comprar manuais novos, tendo 78% dos inquiridos a intenção de obter manuais gratuitamente através de programas estatais. Há ainda 8% que pretendem pedir livros emprestados a amigos ou reutilizar os de irmãos e 9% que vão recorrer a instituições.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de