Imobiliário

Preço das casas no centro histórico de Lisboa disparou 134% em cinco anos

(Joao Silva/ Global Imagens)
(Joao Silva/ Global Imagens)

Entre o primeiro semestre de 2013 e o final de 2018, os preços das casas no centro histórico da capital mais do que duplicaram.

Comprar casa em Alfama, na Mouraria ou no Castelo deixou de ser acessível para qualquer conta bancária. Entre o primeiro semestre de 2013 e a segunda metade de 2018, os preços das habitações no centro histórico de Lisboa aumentaram 134%. As contas são da Confidencial Imobiliário e foram divulgadas esta terça-feira.

Segundo a nota, o valor das casas nas freguesias de Santa Maria Maior, São Vicente e Misericórdia atingiram mínimos no início de 2013, e desde então tem sido sempre a subir. No segundo semestre do ano passado voltaram a registar uma valorização homóloga próxima dos 20%.

Isto depois de, no arranque de 2018, o mercado ter dado sinais de abrandamento. Entre janeiro e junho do ano passado os preços subiram 5,6% face ao mesmo período do ano anterior, interrompendo um ciclo de aumentos de 20% que vinha a ser registado sem interrupções desde a segunda metade de 2015.

A comparação semestral também revela uma diferença abrupta. Do primeiro para o segundo semestre de 2018 as casas ficaram 18,8% mais caras. No semestre anterior, a comparação a seis meses revelava uma variação de apenas 0,1%.

A análise de toda a cidade de Lisboa, e não só do centro histórico, revela que já se verifica, de facto, um abrandamento na subida dos preços. No quatro trimestre de 2018 os preços registaram uma subida homóloga de 16%, quando no primeiro trimestre do mesmo ano o aumento tinha sido de quase 23%.

A nível trimestral a subida foi de 1,7%, enquanto o arranque do ano tinha registado uma variação de 5,3%. Esta foi, conclui a Confidencial Imobiliário, “a subida em cadeia mais baixa dos últimos três anos”.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
ice-cream-cone-1274894_1920

Há pecados de verão que apetecem mesmo nos dias de chuva

ice-cream-cone-1274894_1920

Há pecados de verão que apetecem mesmo nos dias de chuva

João Galamba, Secretário de Estado da Energia 
(PAULO SPRANGER/Global Imagens)

João Galamba: “Há diferença entre encontrar rendas excessivas e cortá-las”

Outros conteúdos GMG
Preço das casas no centro histórico de Lisboa disparou 134% em cinco anos