Imobiliário

Preço das casas subiu 15% no 2º trimestre mas operadores já estão “cautelosos”

(João Silva/ Global Imagens)
(João Silva/ Global Imagens)

Análise da Confidencial Imobiliário revela que subida dos preços mantém-se em linha com as valorizações dos últimos dois anos.

Entre abril e junho o preço de venda das casas em Portugal subiu 14,8%, face ao mesmo período do ano passado. Segundo o Índice de Preços Residenciais da Confidencial Imobiliário, publicado esta quarta-feira, em comparação com o trimestre anterior o aumento foi de 3,9%.

De acordo com o índice que agrega os valores das transações efetuadas no segundo trimestre, a subida homóloga dos preços “está em linha com o ritmo de valorização do mercado observado ao longo dos últimos dois anos”, que tem rondado sempre os 15%.

A variação homóloga mais acentuada teve lugar em outubro do ano passado, quando se registou uma subida dos preços superior a 17%.

Já a nível trimestral, nota a Confidencial Imobiliário, a tendência aponta igualmente para uma estabilização dos preços de venda das habitações. Desde meados de 2017 que a variação oscila entre 3% e 4%.

Para Ricardo Guimarães, diretor da plataforma, apesar do aumento dos preços ainda ser notório, “os níveis de preço entretanto atingidos parecem estar a refrear as expetativas dos operadores, que se mostram cada vez mais cautelosos quanto à evolução” dos valores das casas.

O responsável aponta que o mercado “está a reagir a esta tendência de valorização com o lançamento robusto de nova oferta”.

Há cerca de 93 mil novos fogos em pipeline desde 2017, “um volume que é encarado pelos agentes imobiliários como uma importante resposta para estabilizar a subida de preços, tendo o potencial para resolver a pressão da procura e a falta de oferta no mercado”, conclui Ricardo Guimarães.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Outros conteúdos GMG
Hoje
A Poveira, conserveira. Fotografia: Rui Oliveira / Global Imagens

Procura de bens essenciais dispara e fábricas reforçam produção ao limite

Fotografia: Regis Duvignau/Reuters

Quase 32 mil empresas recorrem ao lay-off. 552 mil trabalhadores em casa

coronavírus em Portugal (covid-19) corona vírus

266 mortos e 10 524 casos confirmados de covid-19 em Portugal

Preço das casas subiu 15% no 2º trimestre mas operadores já estão “cautelosos”