Confidencial Imobiliário

Preço das casas cresceu 46% na última década

Foto: Gustavo Bom/Global Imagens
Foto: Gustavo Bom/Global Imagens

Confidencial imobiliário antecipa alguma estabilização do mercado em 2020

O preço de venda das casas em Portugal continental subiu 15,8% em dezembro. Um aumento que “consolida o ciclo de forte valorização” do mercado residencial nos últimos dois anos, período em que as variações homólogas dos preços se mantiveram predominantemente acima dos 15%. Estes são dados do Índice de Preços Residenciais (IPR) da Confidencial Imobiliário que conclui que, no final do ano, os preços das casas em Portugal estava 46% acima dos níveis registados no arranque da década, em 2010.

Um crescimento acumulado que, destaca a Confidencial Imobiliário em comunicado, “absorve já as perdas de 14% que se observaram entre 2010 e 2013”, sendo este último o ano em que os preços das casas no país atingiram o seu ponto mais baixo.

“2019 volta a ter uma subida muito expressiva nos preços da habitação, embora com uma estrutura diferente, ou seja, com os resultados a refletirem a dinâmica das segundas cidades”, refere o diretor da Confidencial Imobiliário. Ricardo Guimarães especifica: “Lisboa, que anteriormente foi o motor da valorização nacional, teve em 2019 aumentos em torno dos 9,0%, exibindo um crescimento robusto, mas em clara travagem face aos 19% a que valorizava um ano antes”. Para este responsável, “é expectável que, em 2020, o mercado nacional comece a refletir a tendência já sentida em Lisboa, e que os preços acabem por estabilizar em ritmos mais normalizados”.

Em termos trimestrais, a subida de preços fixou-se em 4,2%, entre outubro e dezembro, uma variação em cadeia apenas superada, desde que o IPR acompanha o mercado, pelos 4,9% registados no 2º trimestre de 2018.

 

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Outros conteúdos GMG
Hoje
Turistas passeiam na baixa de Quarteira dia 19 de março de 2020. (LUÍS FORRA/LUSA)

Desemprego no Algarve triplica em maio por quebras no turismo

(MANUEL DE ALMEIDA/LUSA)

OE Suplementar: Oposição levou 263 propostas a votação, passaram 35

O primeiro-ministro, António Costa (E), conversa com o ministro de Estado e das Finanças, João Leão (D), durante o debate e votação da proposta do orçamento suplementar para 2020, na Assembleia da República, em Lisboa, 17 de junho de 2020. MANUEL DE ALMEIDA/LUSA

O Orçamento Suplementar em 5 minutos

Preço das casas cresceu 46% na última década