Telecomunicações

Preços das comunicações em Portugal ficaram 19,7% acima da média da UE em 2018

SETUBAL

Portugal é o nono Estado-membro com preços mais elevados, de acordo com os dados divulgados pela Eurostat.

Os preços das telecomunicações em Portugal, incluindo equipamentos e serviços telefónicos e postais, foram no ano passado superiores em 19,7% à média da União Europeia (UE), sendo o nono Estado-membro com preços mais elevados.

Em causa estão dados hoje divulgados pelo gabinete de estatísticas da UE, o Eurostat, relativos ao Índice de Preços ao Consumidor da União por setor, nos quais são destacados os custos em Portugal com as telecomunicações (incluindo telefone, correios e internet).

Ainda assim, o país da UE com maiores custos nas telecomunicações foi, no ano passado, a Grécia, enquanto a Polónia registou preços mais baixos.

Já 10,8% acima da média comunitária ficaram, em 2018, os preços com o transporte pessoal em Portugal, incluindo viaturas (carros e motas) e bicicletas, levando o país a ocupar, neste parâmetro, o quinto lugar dos mais caros na UE.

Enquanto os preços da mobília e decoração no país eram, no ano passado, 8% acima da média da UE, os valores do vestuário e calçado superaram em 4,3% a média comunitária.

Por seu lado, em 2018, os preços para habitação (incluindo rendas, despesas e manutenção) ficaram 24,5% abaixo da média da UE.

Já os preços dos restaurantes e hotéis em Portugal foram inferiores em 22,2% à média da UE, enquanto os preços com lazer e cultura ficaram 10,4% abaixo da média comunitária.

Também mais baratos do que a média da UE se revelaram, em 2018, os preços dos transportes públicos (-9,6%), álcool e tabaco (-7,9%) e ainda da comida (-2,3%), segundo os dados do Eurostat.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
A ministra do Trabalho, Ana Mendes Godinho (D), e o secretário de Estado do Emprego, Miguel Cabrita (E). Fotografia: MANUEL DE ALMEIDA/LUSA

Salário mínimo de 635 euros? Dos 617 dos patrões aos 690 euros da CGTP

concertação

Governo sobe, sem acordo, salário mínimo até 635 euros em 2020

concertação

Governo sobe, sem acordo, salário mínimo até 635 euros em 2020

Outros conteúdos GMG
Preços das comunicações em Portugal ficaram 19,7% acima da média da UE em 2018