Imobiliário

Preços de casas na Baixa e Chiado subiram 30% num ano

No edifício Liberdade 238, junto ao Marquês de Pombal, os preços superam os dois milhões de euros. Foto: DR
No edifício Liberdade 238, junto ao Marquês de Pombal, os preços superam os dois milhões de euros. Foto: DR

Valores médios rondam os quatro mil euros/m2, mas já há apartamentos a 10 mil euros/m2, o mesmo que custa em Paris.

O mercado imobiliário já começou a recuperar, mas é em Lisboa que os preços mais sobem e principalmente na Baixa, Chiado, Avenida da Liberdade e Bairro Alto. Aqui, os aumentos foram de 18% a 30% entre 2014 e 2015, com os preços médios a chegar aos quatro mil euros/m2. Até já há casas no Chiado e na Av. da Liberdade a sete e 10 mil euros/m2, ou seja, o mesmo preço que em Paris.

De acordo com os dados do Confidencial Imobiliário, a empresa de estatísticas do setor, estas zonas foram as únicas a registar subidas tão elevadas entre 2014 e 2015. Nas restantes 21 freguesias analisadas, os preços/m2 subiram entre 1,25% e 11,4%, ou seja, os preços pedidos em Lisboa subiram 9%.

Aliás, na Área Metropolitana de Lisboa, subiram só 1,6% para 1439 euros/m2. Já na Área Metropolitana do Porto desceram 2,6% para 998 euros/m2, e no Algarve subiram 4,6% para 1219 euros/m2.

A explicar esta realidade está o crescente interesse dos estrangeiros por Lisboa e, em particular pelo centro histórico. E se muitos compram para viver ou passar uma temporada, seja por causa dos vistos gold ou da isenção de impostos para reformados, há já muitos a comprar para depois fazer dinheiro, arrendando a turistas (ver texto ao lado). Até há investidores a comprar prédios para reabilitar.

Há casas no Chiado e na Av. da Liberdade a sete e 10 mil euros/m2, ou seja, o mesmo preço que em Paris.

“A evolução dos preços é bastante moderada a nível nacional porque o rendimento disponível das famílias portuguesas não deixa margem para uma evolução mais rápida dos valores dos imóveis no curto prazo. Foi nas zonas com maior procura internacional, em particular em algumas partes específicas de Lisboa e Porto, que se registaram aumentos superiores a 15%”, disse ao Dinheiro Vivo o administrador da Century 21, Ricardo Sousa.

Casas mais caras que em 2008

Segundo os dados do Confidencial Imobiliário, a freguesia de Santa Maria Maior, que apanha o centro histórico e desce do Castelo à Baixa e Chiado, passando por Santa Apolónia e Alfama, foi onde os valores mais subiram. Passaram de 2735 euros/m2 em 2014 para 3565 euros/m2 em 2015, mais 30,3%.

Já na freguesia de Santo António, que engloba a Av. da Liberdade, Príncipe Real e Rato, os valores passaram de 3196 euros/m2 em 2014 para 4157 euros/m2 em 2015, mais 30%. E na Misericórdia, que vai do Bairro Alto à zona de Santos e do Cais do Sodré, a subida foi de 17,5% com os preços a passar de 3432 euros/m2 em 2014 para 4035 euros/m2 no ano passado.

Contas feitas, o preço de uma casa de 80 m2 – a média de um T2, que é a tipologia mais procurada – sobe de 219 mil para 285 mil euros na zona da Baixa. Na Avenida da Liberdade e arredores passa de 256 mil para 333 mil euros e no Bairro Alto e Cais Sodré aumenta de 274 mil para 323 mil euros. Uma casa de maior dimensão, como costuma haver nestas zonas, pode mesmo chegar a dois milhões de euros.

De acordo com os mesmos dados do Confidencial Imobiliário, os números praticados em 2015 – que se referem a preços pedidos e não ao valor efetivo da venda – chegam mesmo a ser superiores aos de 2008, ou seja, antes da crise.

Assim, na freguesia de Santa Maria Maior, os preços/m2 estavam 27% mais caros em 2015 que em 2008, na freguesia de Santo António estavam 25% mais altos e na Misericórdia 29%.

Não é, por isso, de estranhar, que o presidente da a associação das mediadoras, Luís Lima, diga que é preciso moderação, porque, “se os estrangeiros desaparecem ninguém compra estas casas”.

Parque das Nações mais barato

A prova desta realidade está já bem plasmada no que está a acontecer no Parque das Nações. Os preços pedidos atingiram o valor mais alto em 2014, precisamente no ano do boom do vistos gold e dos chineses, que procuravam muito aquela zona. Mas em 2015 houve menos vistos gold e menos chineses e os preços desceram 2,2%.

Aliás, só houve três zonas onde as casas ficaram mais mais baratas e esta foi uma delas. Ainda assim, a 3363 euros/m2, o Parque das da Nações tem ainda preços 17,4% acima dos valores praticados em 2008.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa (D), agraciou o empresário, Alexandre Soares dos Santos (E), com a Ordem de Grã-Cruz de Mérito Empresarial, no Palácio de Belém, em Lisboa, 20 de abril de 2017. 

Fotografia: PAULO NOVAIS/LUSA

Morreu Alexandre Soares dos Santos, o senhor Jerónimo Martins (1934 – 2019)

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa (D), agraciou o empresário, Alexandre Soares dos Santos (E), com a Ordem de Grã-Cruz de Mérito Empresarial, no Palácio de Belém, em Lisboa, 20 de abril de 2017. 

Fotografia: PAULO NOVAIS/LUSA

Marcelo condecora Soares dos Santos: empresário de “responsabilidade social”

ng3091740

O dono do Pingo Doce sobre o Estado, a crise e a Europa

Outros conteúdos GMG
Preços de casas na Baixa e Chiado subiram 30% num ano