Lisboa

Prédios com eficiência energética vão ter desconto de 15% no IMI

Fotografia: Global Imagens
Fotografia: Global Imagens

Valor do desconto sobe cinco pontos percentuais em relação ao que está em vigor. Política fiscal para 2018 vai ser discutida esta quinta-feira.

Os prédios urbanos que tenham eficiência energética deverão beneficiar de um desconto de 15%, em vez dos atuais 10%, na taxa do Imposto Municipal sobre Imóveis (IMI) aplicável por cinco anos.

Esta é uma das medidas que a câmara de Lisboa quer aplicar em matéria de política fiscal em 2018, cujo dossiê vai ser discutido esta quinta-feira para ser aprovado no dia 19, de acordo com o Jornal de Negócios.

O executivo liderado por Fernando Medina quer manter a taxa mínima de IMI nos 0,3% para os prédios urbanos. E quem tem filhos irá ter uma redução automática do imposto a pagar: 20 euros no caso de um dependente; 40 euros para dois e 70 euros para quem tenha três ou mais filhos.

A câmara de Lisboa pretende ainda aplicar uma taxa de IMI multiplicada por três aos imóveis que se encontram devolutos ou que sejam classificados pelo município como estando em ruínas.

Já os prédios urbanos degradados para os quais a autarquia tenha determinado a execução de obras de conservação irão sofrer uma majoração de 30% na taxa de IMI enquanto as obras não forem realizadas e desde que a demora não seja imputável à autarquia.

Em termos de IRS, a proposta do executivo camarário prevê a devolução de 2,5%, o mesmo valor do ano passado. Para as empresas, o pacote fiscal também não sofrerá alterações.

 

 

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Outros conteúdos GMG
Hoje
Fotografia: Fábio Poço/Global Imagens

AL perdeu quase 3000 casas em Lisboa e Porto. Oferta para arrendar cresce

A  90ª edição da Micam, a feira de calçado de Milão, está agendada para os dias 20 a 23 de setembro, com medidas de segurança reforçadas. Fotografia DR

Calçado. Micam arranca este domingo e até há uma nova marca presente

Os ministros da Presidência do Conselho de Ministros, Mariana Vieira da Silva (C), Economia, Pedro Sia Vieira (E) e do Trabalho Solidariedade e Segurança Social, Ana Mendes Godinho (D). MANUEL DE ALMEIDA/POOL/LUSA

Portugal é o quarto país da UE onde é mais difícil descolar do mínimo

Prédios com eficiência energética vão ter desconto de 15% no IMI