zona franca da madeira

Presidente da SDM acusa Ana Gomes de mentir sobre a Zona Franca da Madeira

Paulo Prada é presidente da Sociedade de Desenvolvimento da Madeira (CINM). Foto: HOMEM DE GOUVEIA/LUSA
Paulo Prada é presidente da Sociedade de Desenvolvimento da Madeira (CINM). Foto: HOMEM DE GOUVEIA/LUSA

O presidente da Sociedade de Desenvolvimento da Madeira (CINM) acusa a ex-deputada do PS no Parlamento Europeu Ana Gomes de mentir acerca do Centro Internacional de Negócios, gerador de 130 milhões de euros anuais de receita fiscal para a região.

Paulo Prada diz que foi Ana Gomes que “esgravatou, esgravatou” até conseguir que a Comissão Europeia abrisse uma investigação sobre o regime de auxílios de Estado que Portugal adotou a favor das sociedades com sede na Zona Franca da Madeira (isenções fiscais).

“Quem originou este assunto foi a ex-deputada Ana Gomes”, disse à agência Lusa, citando uma carta que a socialista escreveu aos comissários europeus Pierre Moscovici (Assuntos Económicos e Financeiros), Margrethe Vestager (Concorrência) e Vera Jourová (Justiça, Consumidores e Igualdade de Género), com conhecimento do primeiro-ministro, António Costa, do ministro da Finanças, Mário Centeno, e do secretário de Estado para os Assuntos Fiscais, António Mendonça Mendes.

Segundo Paulo Prada, eleito há três meses e meio, a carta tem dois pontos que “são duas mentiras completas”.

“Se ela não tentar desmentir ou não apresentar uma queixa no Ministério Público e se da queixa não for deduzida uma acusação e um acusado, mais se provará que ela mentiu”, disse.

Ana Gomes, sublinhou o responsável, diz que “uma petrolífera italiana, sem qualquer atividade na Madeira, é a entidade que mais benefícios fiscais obteve”.

“Esta empresa está na Madeira desde 1994 e no CINM há 25 anos, tem instalações na Zona Franca Industrial, onde já investiu três milhões de euros, emprega cento e poucos trabalhadores – 98% dos quais são portugueses, altamente bem remunerados – que fazem toda a gestão das frotas, do pessoal e da manutenção dos petroleiros e das plataformas petrolíferas, tem um navio registado no Registo Internacional de Navios”, declarou.

Paulo Prada referiu que se a ex-eurodeputada deveria ir aos estaleiros da Lisnave, em Setúbal, perguntar quem é o maior cliente português do estaleiro: “Vão responder que é esta empresa, a tal que não existe e que nos últimos anos deixou lá 20 milhões de euros em reparações”.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Outros conteúdos GMG
Hoje
Turistas passeiam na baixa de Quarteira dia 19 de março de 2020. (LUÍS FORRA/LUSA)

Desemprego no Algarve triplica em maio por quebras no turismo

rui_torgal_era_portugal_1

ERA está a contratar 500 novos colaboradores em Portugal

(MANUEL DE ALMEIDA/LUSA)

OE Suplementar: Oposição levou 263 propostas a votação, passaram 35

Presidente da SDM acusa Ana Gomes de mentir sobre a Zona Franca da Madeira