Investigação

Presidente da Turismo Porto e Norte de Portugal detido

Melchior Moreira, ex-presidente da Turismo Porto e Norte, está em prisão preventiva desde o final de 2018 no âmbito da operação Éter, uma investigação em curso da Polícia Judiciária sobre uma alegada viciação de procedimentos de contratação pública que culminou com a indiciação de cinco arguidos. (Fotografia: Catarina Vieira/ Global Imagens)
Melchior Moreira, ex-presidente da Turismo Porto e Norte, está em prisão preventiva desde o final de 2018 no âmbito da operação Éter, uma investigação em curso da Polícia Judiciária sobre uma alegada viciação de procedimentos de contratação pública que culminou com a indiciação de cinco arguidos. (Fotografia: Catarina Vieira/ Global Imagens)

A PJ deteve cinco pessoas por indícios de crimes de corrupção e participação económica em negócio em procedimentos de contratação pública

O presidente da Turismo Porto e Norte de Portugal, Melchior Moreira, é um dos cinco detidos no âmbito de uma investigação relativa à presumível viciação de procedimentos de contratação pública, avançou fonte policial.

A Polícia Judiciária (PJ) deteve hoje cinco pessoas e realizou buscas em entidades públicas e sedes de empresas no âmbito de uma investigação relativa à presumível viciação de procedimentos de contratação pública no valor de vários milhões de euros.

Em comunicado, a PJ refere que os cinco detidos no âmbito da designada operação “Éter” estão indiciados por crimes de corrupção e participação económica em negócio em procedimentos de contratação pública no Norte do país.

“A investigação, centrada na atividade de uma pessoa coletiva pública, determinou a existência de um esquema generalizado, mediante a atuação concertada de quadros dirigentes, de viciação fraudulenta de procedimentos concursais e de ajuste direto com o desiderato de favorecer primacialmente grupos de empresas, contratação de recursos humanos e utilização de meios públicos com vista à satisfação de interesses de natureza particular, assinala a PJ, através da sua Diretoria do Norte.

Além de Melchior Moreira, foram detidas mais duas pessoas associadas à Turismo Porto e Norte de Portugal, além de dois empresários, indica a edição ‘online’ do Correio da Manhã.

Já em 20 de junho, a Procuradoria-Geral Distrital (PGD) do Porto tinha anunciado a constituição de cinco arguidos numa investigação à atividade desenvolvida por uma “entidade ligada à promoção do turismo”, que se confirmou ser o Turismo Porto e Norte, por alegados crimes de corrupção, peculato e abuso de poder.

Contactado pela Lusa nessa altura, o presidente da Turismo do Porto e Norte de Portugal, Melchior Moreira, manifestava-se de consciência tranquila e disponível para prestar todas as informações que lhe forem solicitadas.

“Estou de consciência tranquila. Vou prestar todas as informações e toda a ajuda que me for solicitada, para esclarecer a situação e defender o meu bom nome e da entidade”, referiu então Melchior Moreira.

Na operação policial hoje tornada pública realizaram-se 11 buscas, domiciliárias e não domiciliárias, nas regiões de Porto, Gaia, Matosinhos, Lamego, Viseu e Viana do Castelo e estiveram envolvidos 50 elementos da Polícia Judiciária, incluindo inspetores, peritos informáticos e peritos financeiros e contabilísticos.

A investigação, refere a polícia, prossegue no sentido de determinar todas as condutas criminosas e o seu alcance.

Os detidos, com idades compreendidas entre os 42 e os 54 anos, sendo três dirigentes de entidade pública e dois empresários, vão ser presentes a interrogatório judicial para aplicação das medidas de coação tidas por adequadas.

Contactada pela Lusa, a Secretaria de Estado do Turismo remeteu eventuais comentários para mais tarde.

A Lusa tentou ouvir a Turismo Porto e Norte de Portugal, mas tal não foi possível até ao momento.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
Caixa Geral Depósitos CGD Juros depósitos

Caixa perdeu 1300 milhões com créditos de grandes devedores

Ursula von der Leyen foi o nome nomeado para presidir à Comissão Europeia. (REUTERS/Francois Lenoir)

Parlamento Europeu aprova Von der Leyen na presidência da Comissão

Christine Lagarde, diretora-geral demissionária do FMI. Fotografia: EPA/FACUNDO ARRIZABALAGA

Christine Lagarde demite-se da liderança do FMI

Outros conteúdos GMG
Presidente da Turismo Porto e Norte de Portugal detido