Prestações de desemprego disparam 165% para os jovens

Os apoios aos desempregados aumentaram 39% em julho, face ao mesmo mês do ano passado. Crescimento é mais pronunciado entre os jovens.

Mais de 13 mil jovens com menos de 24 anos estavam a receber prestações de desemprego no final do mês de julho. Trata-se de um aumento de 164,6% face ao mesmo mês do ano passado e representa a maior subida entre todos os escalões etários.

“Por idades e comparando com julho de 2019, continuam a registar-se acréscimos das prestações processadas em todos os grupos etários, sobressaindo os grupos mais jovens”, refere a síntese mensal de informação Segurança Social divulgada ontem.

Até aos 24 anos o número de apoios disparou 164,5% (13 384 pessoas), entre os 25 e os 34 anos 84%, entre os 35 e os 44 anos 43,3% e entre os 45 e os 54 anos 30,2%.

A camada mais jovem continua a ser uma das mais fustigadas com o desemprego em termos relativos, apesar de se ter registado uma ligeira descida entre o mês de junho e julho (-0,3%) no grupo até aos 25 anos, de acordo com os dados do Instituto de Emprego e Formação Profissional (IEFP). Os dados da Segurança Social mostram, por outro lado, uma estabilização mensal no número de jovens que estava a receber algum tipo de apoio no desemprego.

Aumentam apoios

Comparando com o mês de julho do ano passado, o número de prestações de desemprego aumentou 39,3%, atingindo 221 765, com destaque para o subsídio social de desemprego inicial. Neste grupo, o número de beneficiários atingiu os 10 894, o que corresponde a uma subida de 97,6% face ao mesmo mês de 2019.

O subsídio social de desemprego inicial é uma prestação atribuída a quem ficou desempregado, mas que já esgotou os critérios de acesso ao subsídio de desemprego.

Desagregando por tipo de prestação, o subsídio de desemprego registou um aumento de 45,4% em termos homólogos, mas uma ligeira redução de 0,3% face a junho, tendo abrangido mais de 192 mil pessoas.

Nestas contas não estão incluídas as prorrogações das prestações de desemprego, refere o Gabinete de Estratégia e Planeamento (GEP) do Ministério do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social.

Em termos de valores médios da prestação de desemprego, verificou-se em julho uma ligeira diminuição face ao mês anterior. De acordo com os dados divulgados ontem, em média, os beneficiários de prestações de desemprego recebiam 502,46 euros, menos 2,16 euros do que em junho.

Recomendadas

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de