banca

Procura por crédito à habitação deverá aumentar no terceiro trimestre

Casas/Habitação

A concessão de crédito à habitação subiu no segundo trimestre e a tendência deverá manter-se até setembro, apontam os dados divulgados pelo BdP.

Os pedidos de crédito à habitação, e para o consumo, aumentaram no segundo trimestre, e prevê-se que continuem a aumentar até ao fim do ano. Os resultados de um inquérito aos bancos, divulgados esta terça-feira pelo Banco de Portugal, justificam este aumento pela descida das taxas de juro e o aumento da confiança dos consumidores.

“No segmento dos particulares as instituições antecipam um aumento na procura de crédito à habitação.”, lê-se no comunicado publicado pelo BdP.

Nos outros segmentos de crédito não se registaram alterações significativas, revela o Banco de Portugal. Para o terceiro trimestre do ano, prevê-se que esta procura de crédito para aquisição de habitação continue a aumentar. A contrariar a tendência, é provável que os pedidos de crédito pelas PME e de longo prazo a empresas diminua.

No caso das empresas, a previsão é que a concessão de crédito reduza. Durante o segundo trimestre, a procura de crédito por parte das empresas manteve-se inalterada. “Para o terceiro trimestre do ano as instituições antecipam uma diminuição na procura de empréstimos pelas PME, assim como de empréstimos de longo prazo a empresas”, lê-se no comunicado.

Leia também: Crédito à habitação atinge máximos de junho de 2018

O mesmo aconteceu com as políticas de concessão de crédito, que não registaram quaisquer alterações até junho.

Ainda assim, sublinham os bancos, o acesso a financiamento por parte das instituições bancárias manteve-se praticamente inalterado. Contudo, com uma “ligeira melhoria nas condições de acesso ao financiamento através de títulos de dívida de médio a longo prazo, bem como na capacidade de transferência do risco de crédito para fora do balanço”.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
Teste - Redação DV

Liberdade e sustentabilidade dos media, com ou sem apoio do governo?

Regime dos residentes não habituais garante isenção de IRS a quem recebe pensões do estrangeiro.
(Reinaldo Rodrigues/Global Imagens)

Primeiros 18 residentes não habituais prestes a perder benefício

Salvador de Mello, CEO do grupo CUF (Artur Machado/Global Imagens)

CUF vai formar alunos médicos de universidade pública

Outros conteúdos GMG
Procura por crédito à habitação deverá aumentar no terceiro trimestre