Promoções já não geram aumento das vendas

As promoções já representam 46% das vendas em Portugal
As promoções já representam 46% das vendas em Portugal

As promoções correm atrás do consumidor e, <a href="http://www.dinheirovivo.pt/Economia/interior.aspx?content_id=4722878" target="_blank">dizem os especialistas, já estão a ter pouco impacto no tipo de consumo que as famílias praticam</a>. No fundo, compra-se menos por impulso o que está a anular um incremento de vendas.

Um estudo da Nielsen, referente aos primeiros meses deste ano, mostra que 3% dos consumidores portugueses é completamente indiferente às escolhas das marcas habituais. E 12% só compra em promoção quando “realmente gosta da marca”. “As promoções já não incrementam vendas”, refere a consultora.

A menor adesão às promoções também se nota na manutenção dos espaços onde habitualmente se realizam as compras: 52% dos shoppers “raramente” mudam de loja, aproveitando as promoções que o espaço habitual tem disponíveis.

Na busca pela promoção, 14% dos consumidores admite que muda de loja para procurar os descontos promocionais mais apelativos.

“Era cítico racionalizar as promoções e reforçar a lealdade do shopper”, admite Ana Paula Barbosa, diretora para os serviços de retalho da Nielsen, confirmando que 38% das vendas feitas pelas marcas de retalho são de produtos em promoção.

Como estão a evoluir os preços:

Azeite

– 50% do azeite vendido é com promoção, isto representa 15 pontos percentuais acima do verificado há um ano. O volume de vendas, no entanto, caiu 4%, e o preço, à boleia da baixa inflação, reduziu-se 5%. No global, o preço do azeite caiu 8%.

Óleo

– 57% do óleo vendido é com promoção, são 6 pontos acima do registado há um ano. O volume de vendas caiu, ainda assim, 1% e o preço 12%. No global, o valor apresentado está 13% abaixo.

Shampoo

– Metade do shampoo colocado à venda tem promoção, são 12 pontos acima de há um ano. E, contrariamente aos restantes produtos, o volume de vendas subiu 5%.O preço, por seu lado, está 7% abaixo. No total, o valor do produto é hoje 3% inferior.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Outros conteúdos GMG
Hoje
Indústria do calçado. 
Fotografia: Miguel Pereira/Global Imagens

Portugal regressou ao Top 20 dos maiores produtores de calçado

Sonae Industria

Ações da Sonae Indústria e da Sonae Capital disparam após OPA da Efanor

Alexandre Meireles, presidente da ANJE. Fotografia:  Igor Martins / Global Imagens

ANJE teme que 2021 traga “grande vaga” de falências e desemprego

Promoções já não geram aumento das vendas