protestos

Protesto contra a pesca elétrica ameaça bloquear portos europeus

Fotografia; Adelino Meireles/Global Imagens
Fotografia; Adelino Meireles/Global Imagens

Os pescadores apelam à Comissão Europeia que se proíba definitivamente este tipo de pesca.

Organizações não-governamentais (ONG) e pescadores de diversos países europeus vão bloquear esta segunda-feira alguns portos em protesto contra a pesca elétrica, por motivos ambientais e económicos, anunciou em comunicado a ONG Bloom.

O bloqueio está previsto decorrer em França, Bélgica, Alemanha, Irlanda, Holanda e Itália.

O método deste tipo de pesca “destrói o meio marinho e ameaça a sobrevivência económica” dos pescadores tradicionais, sublinha-se no texto da Bloom, referindo-se a uma técnica que consiste em enviar impulsos elétricos em direção aos fundos marinhos para capturar os peixes que aí vivem.

A iniciativa está agendada para o início da manhã.

A intenção dos pescadores é de apelar aos responsáveis políticos europeus para que interditem definitivamente esta pesca de pesca destrutiva, sublinha no texto a ONG sediada em França.

Em Boulogne-sur-Mer, França, os pescadores vão receber o apoio do deputado europeu eleito pelo partido Europa Ecologia/Os Verdes (EELV), Yannick Jadot.

Uma plataforma online foi entretanto lançada para permitir que os cidadãos interpelem os decisores europeus (https://stopelectricfishing.org/).

A pesca elétrica, proibida em países como a China, Brasil e Estados Unidos é permitida na Europa num quadro derrogatório especial.

As ONG acusam a Comissão Europeia de ter cedido aos lóbis holandeses da pesca industrial, em detrimento dos pequenos pescadores.

Em janeiro deste ano, mais de 200 chefes de cozinha europeus subscreveram um manifesto contra a pesca por eletrocussão, comprometendo-se a não comprar nenhum peixe pescado dessa forma.

“Recusamo-nos a trabalhar com produtos apanhados com um método de pesca que condena o nosso futuro e o do oceano”, referiram ‘chefs’ como o francês Christopher Coutanceau, a espanhola Elena Arzak ou o italiano Antonino Cannavacciuolo.

“Os barcos de pesca elétrica fazem capturas com uma qualidade deplorável, stressadas e muitas vezes marcadas com hematomas por causa da eletrocussão. Os peixes são de tão má qualidade que não se consegue fazer nada com eles”, declaram os cozinheiros.

O seu objetivo é que “a pesca elétrica seja proibida na Europa e em outras partes do mundo”.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Outros conteúdos GMG
Hoje
Fotografia: Gerardo Santos/Global Imagens

Saídas para a reforma disparam 43% na função pública

Foto: DR

EDP flexibilizou pagamento de faturas no valor de 60 milhões de euros

Carteiros

CTT vão entregar cartão de cidadão em casa. Piloto arranca em Oeiras

Protesto contra a pesca elétrica ameaça bloquear portos europeus