Próximo governador do Banco de Portugal será ouvido no Parlamento antes de assumir funções

O próximo governador do Banco de Portugal terá de passar primeiro pelo crivo da Assembleia da República. Ou seja, será ouvido no Parlamento antes de assumir funções. O diploma da nomeação foi hoje publicado em Diário da República e entra amanhã em vigor.

Deste modo, o futuro governador do Banco de Portugal e os restantes membro da autoridade reguladora serão designados por resolução do Conselho de Ministro, sob proposta do Ministro das Finanças, e após uma audição na Assembleia da República, que irá fazer um relatório. O diploma que altera a Lei Orgânica do Banco de Portugal foi hoje publicado em Diário da República e entra amanhã em vigor.

De acordo com o documento, “o Governador e os demais membros do conselho de administração são escolhidos de entre pessoas com comprovada idoneidade, capacidade e experiência de gestão, bem como domínio de conhecimento nas áreas bancária e monetária”.

A designação do Governador “é feita por resolução do Conselho de Ministros, sob proposta do Ministro das Finanças e após audição por parte da comissão competente da Assembleia da República, que deve elaborar o respetivo relatório descritivo”.

Além do governador, os restantes membros do conselho de administração também “são designados por resolução do Conselho de Ministros, sob proposta do Governador do Banco de Portugal e após audição por parte da comissão competente da Assembleia da República, que deve elaborar o respetivo relatório descritivo”.

O diploma salienta ainda que “o provimento dos membros do conselho de administração deve procurar, tendencialmente, a representação mínima de 33 % de cada género”.

O diploma entra amanhã em vigor e, segundo o que tem sido noticiado, tudo indica que o atual governador do Banco de Portugal, Carlos Costa, deverá ser reconduzido no cargo.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Outros conteúdos GMG
Hoje
Banco de Portugal

Bancos concederam moratórias a 741 623 empréstimos entre março e junho

Fotografia: D.R.

OIT. 42% dos jovens viu rendimento reduzir devido à pandemia

recibos verdes

Recibos verdes com trabalho dependente passam a ter apoio

Próximo governador do Banco de Portugal será ouvido no Parlamento antes de assumir funções