legislativas 2015

PS quer repor cláusula de salvaguarda do IMI quando for governo

IMI pode aumentar 500% este ano
IMI pode aumentar 500% este ano

O PS afirmou hoje que pretende repor, quando for governo, a cláusula de salvaguarda do Imposto Municipal sobre Imóveis (IMI) que limita até 75 euros o aumento anual do imposto.

“O Partido Socialista, como referiu o secretário-geral António Costa, quando for governo, reporá a cláusula de salvaguarda no próximo Orçamento do Estado porque no nosso entender é urgente travar este aumento brutal do IMI”, afirmou o deputado António Ramos Preto em declarações à agência Lusa.

O deputado socialista disse que “é trágico que as famílias sejam confrontadas com esta verdadeira bomba-relógio que neste mês de março lhes entra pela casa dentro”, referindo-se ao aumento esperado do valor do IMI, no primeiro ano em que não é aplicada esta cláusula de salvaguarda.

António Ramos Preto relembrou que o PS pediu a prorrogação da cláusula de salvaguarda em 2013 e 2014, acusando PSD e CDS de fazerem “orelhas moucas” e não quererem aprovar a continuação deste travão.

O deputado sublinhou também que “houve um conjunto de municípios, como o município de Lisboa e outros, que, no quadro dos poderes que resultam da autonomia do poder local, tiveram consciência da grave situação em que vivem milhares de famílias portuguesas, e aplicaram a taxa mínima”.

“Temos de aguardar por um novo governo e com este compromisso solene do nosso secretário-geral de que efetivamente a cláusula de salvaguarda do IMI será reposta no próximo orçamento [de Estado] de 2016”, afirmou Ramos Preto.

Os jornais Diário de Notícias e Jornal de Notícias noticiam hoje em manchete que o fim do travão no IMI poderá resultar no aumento deste imposto até 500%.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
(Gustavo Bom / Global Imagens )

Englobamento agrava IRS para rendimentos ‘protegidos’ pelo mínimo de existência

(Gustavo Bom / Global Imagens )

Englobamento agrava IRS para rendimentos ‘protegidos’ pelo mínimo de existência

Salvador de Mello
( Álvaro Isidoro / Global Imagens )

Saúde não pode andar “ao sabor de ventos políticos”

Outros conteúdos GMG
PS quer repor cláusula de salvaguarda do IMI quando for governo