PIB

PSD saúda crescimento da economia mas diz que se deve ao anterior Governo

A deputada do PSD, Inês Domingos.
Fotografia: MIGUEL A. LOPES/LUSA
A deputada do PSD, Inês Domingos. Fotografia: MIGUEL A. LOPES/LUSA

Para o PSD, os valores refletem "o esforço das empresas e das famílias que levaram a economia para a frente, apesar de o Governo ser inerte".

O PSD saudou hoje o crescimento de 2,8 por cento da economia portuguesa no primeiro trimestre de 2017 e considerou que se trata de uma recuperação que se deve às reformas realizadas pelo Governo anterior (PSD/CDS).

“Estamos contentes com a recuperação do PIB [Produto Interno Bruto] neste trimestre que se deve às reformas realizadas pelo anterior Governo, à conjuntura internacional e na União Europeia mais favoráveis”, declarou à Lusa a deputada social-democrata Inês Domingos.

A deputada do PSD falava após a divulgação dos dados do Instituto Nacional de Estatística (INE) segundo os quais a economia portuguesa cresceu 2,8% no primeiro trimestre de 2017 face ao mesmo período do ano passado e, comparando com o trimestre anterior, cresceu 1%, segundo o Instituto Nacional de Estatística (INE).

Para os sociais-democratas, os valores refletem “o esforço das empresas e das famílias que levaram a economia para a frente, apesar de o Governo ser inerte e ter revertido reformas”.

A parlamentar lembrou que, em 2016, o crescimento foi menor do que em 2015, referindo que tal “é inaceitável.

“Esperamos que a economia continue a crescer a um ritmo superior a dois por cento para tentar recuperar uma parte do que foi perdido”, disse Inês Domingos.

De acordo com a estimativa rápida das contas nacionais trimestrais relativas aos primeiros três meses deste ano, divulgadas hoje pelo INE, o PIB aumentou 2,8% em volume no 1.º trimestre de 2017, em termos homólogos, depois de no trimestre anterior ter registado uma variação homóloga de 2%.

Este desempenho trimestral homólogo é, assim, o mais positivo dos últimos 10 anos, já que iguala o crescimento verificado no último trimestre de 2007, período em que a economia portuguesa cresceu também 2,8%.

 

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Outros conteúdos GMG
Hoje
Regresso ao trabalho - ilustração

O mundo do trabalho mudou. A saúde é agora lei

José Theotónio, CEO do Grupo Pestana.
(Diana Quintela / Global Imagens)

José Theotónio: “Haverá voos mas não virão logo com turistas para o Algarve”

Fotografia: D.R.

Teletrabalho continua obrigatório para grupos de risco e pais sem escola

PSD saúda crescimento da economia mas diz que se deve ao anterior Governo