Quanto posso poupar no IRS ao validar faturas?

O Consultório Financeiro e Fiscal do ​​​​​​​DV conta com esclarecimentos prestados pela Globalwe.

Tem dúvidas sobre impostos, precisa de aconselhamento fiscal para melhor prever o futuro da sua empresa? Com a ajuda de quem melhor sabe, o Dinheiro Vivo responde a questões relacionadas com finanças e impostos no trabalho. Um consultório financeiro e fiscal, em parceria com a equipa de consultores da Globalwe. Envie o seu caso ou dúvida para editorial@dinheirovivo.pt

Qual o valor máximo que posso poupar no IRS ao validar as minhas faturas?

De modo a beneficiar de deduções nos diferentes setores de saúde, educação, habitação, lares e "outros" tem que validar as faturas pendentes no portal e-fatura até ao próximo dia 25 de fevereiro. As faturas que ficarem pendentes após a data estabelecida não serão tidas em consideração para a dedução do IRS.

Cada contribuinte ao entregar este ano a declaração de IRS, o Fisco vai abater 35% nas despesas gerais (luz; água; gás, supermercado...), o que corresponde ao limite máximo individual de 250 euros e em casal (com ou sem dependentes), essa dedução chega a um máximo de 500 euros. No caso das famílias monoparentais, a dedução é de 45%, o que equivale a um limite máximo de 335 euros. É importante notar que o benefício não é crescente com a equivalência ao número de filhos.

As percentagens de dedução irão diferir de acordo com o setor em questão. Na saúde, a dedução do IRS será de 15%, podendo ser até 1000 euros. No setor da educação, as despesas serão deduzíveis em 30% com um limite máximo de 800 euros. O benefício na habitação é aplicável em rendas em 15%, ou seja, até 502 euros, sendo também aplicável aos juros de créditos à habitação contratadas até 31 de dezembro de 2011, com um limite de até 296 euros. As reabilitações de imóveis também serão tidas em conta com um limite de 500 euros, equivalente a 30%. As despesas com lares de terceira idade e apoio domiciliário também é considerado com uma redução de 25% correspondendo a até 404,75 euros.

O IVA admitido em despesas com alojamento e restauração, oficinas de automóveis e motociclos, cabeleireiros e institutos de beleza, veterinários e ainda atividade física. Os passes para utilização em transportes públicos mensais são considerados para o benefício do IVA. Neste caso em específico o IVA é deduzido na totalidade, enquanto nas outras prestações de serviços o benefício é de 15% do IVA. O limite neste caso é de 250 euros por agregado familiar, se for declarado em casal, se entregue singularmente o limite passa a 150 euros.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de