Impostos

Que despesas devo ter já em conta para poupar no IRS?

faturas recibos irs

Deve pedir fatura com NIF e garantir que está bem classificada no portal das finanças.

Os impostos que pagamos sobre o rendimento que auferimos têm em conta os nossos ganhos, mas não só. Existem algumas despesas que podem ser dedutíveis ao total de impostos a pagar. A este valor chama-se “matéria coletável”, explica a Reorganiza.

Para isso, tem de associar o seu número de contribuinte a essas despesas. Caso não haja alterações para a declaração de IRS do próximo ano, a consultora indica aquilo que está atualmente previsto no que diz respeito a despesas dedutíveis.

Despesas gerais: até 35% do total de despesas como eletricidade, supermercado e telecomunicações, com limite máximo de 250 euros por contribuinte; ou de 45% com limite de 335 euros no caso de famílias monoparentais.

Saúde: despesas com receitas médicas e de seguros de saúde podem ser dedutíveis até 15%, num teto máximo de mil euros.

Habitação: é preciso distinguir se é casa própria – neste caso as despesas com o crédito só são aceites se o contrato for inferior a 2011 e é só sobre a parte referente aos juros – ou arrendada – onde as rendas só são dedutíveis se a morada fiscal do contribuinte coincidir com a habitação permanente. O limite é de 296 euros ou 502 euros, consoante se tratar de um ou dois contribuintes, respetivamente.

Educação: está previsto que se possa deduzir 30% com limite de 800 euros, ou até mil euros, no caso de haver encargos com rendas de estudantes deslocados (dependentes até 25 anos a viver a mais de 50 quilómetros de casa).

IVA: até 250 euros pode recuperar 15% do IVA pago em serviços como reparação automóvel, cabeleireiros ou restauração. No caso do custo com os passes, entram nas contas 100% do valor do IVA.

A Reorganiza aconselha a verificar o portal do e-fatura com regularidade, onde pode consultar as percentagens que já tem em cada uma das rubricas.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Outros conteúdos GMG
Hoje
O presidente do Novo Banco, António Ramalho, discursa na cerimónia de lançamento do Projeto de Divulgação Cultural do Novo Banco. Fotografia: MANUEL DE ALMEIDA/LUSA

Banca custou ao Estado mais 1,5 mil milhões de euros em 2019, agora ajude

coronavirus portugal antonio costa

Proibidos ajuntamentos com mais de cinco pessoas. Aeroportos encerrados

O primeiro-ministro, António Costa, fala aos jornalistas no final da reunião do Conselho de Ministros após a Assembleia da República ter aprovado o decreto do Presidente da República que prolonga o estado de emergência até ao final do dia 17 de abril para combater a pandemia da covid-19, no Palácio da Ajuda, em Lisboa, 2 de abril de 2020. 
 MÁRIO CRUZ/POOL/LUSA

Mapa de férias pode ser aprovado e afixado mais tarde do que o habitual

Que despesas devo ter já em conta para poupar no IRS?